pela praticidade e delicadeza, aos poucos, os mini jardins ganham espaços dentro das casas

Verde. Nova tendência em jardinagem urbana permite que pessoas tenham mais natureza em ambientes fechados

os tamanhos dos mini jardins são variados, alguns cabem até na palma da mão. FOTO: arquivo pessoal Fabiana LUNA BATISTA

Organizados em recipientes de vidro, barro ou pedaços de madeiras, os mini jardins estão encantando quem deseja ter um pedaço de verde dentro de casa ou apartamento, mas não tem muito tempo para cuidar e fazer manutenção. Adicionando um charme para qualquer ambiente, estes novos elementos de jardinagem podem ser encontrados em diferentes modelos e estilos — tudo de acordo com a preferência de cada pessoa.

Além da praticidade e baixo custo, ter um jardim como esse pode ajudar a renovar o ar dos ambientes e deixar os lugares mais frescos, relaxantes, alegres e naturais. Outro aspecto que torna o item interessante é que ele pode ser colocado em diferentes lugares, como banheiros, cozinhas e quartos. Antes de tudo, o ideal é pesquisar quais espécies se adaptam melhor às condições de cada lugar, levando em consideração coisas como a luminosidade e a ventilação do local.

A designer de interiores e jardins Fabiana Luna Batista, que trabalha no ramo há quase dois anos, comenta que existem infinitas plantas capazes de adaptarem nos mais diferentes lugares, seja casa ou apartamento. “A natureza é farta e o primeiro passo é querer ter um pedacinho de verde no ambiente. Depois, compreender que por mais simples que pareça, se trata de uma vida que precisa das pessoas para se manter. Tem que querer e se envolver”, complementa a especialista, se referindo aos benefícios de ter uma planta.

Com o tempo de prática, hoje a profissional consegue identificar a partir da personalidade de cada pessoa o tipo de mini jardim que mais combina com seus clientes. “Assim como temos nossos gostos pessoais para tudo, como coisas, cães e gatos, cada planta nos toca de maneiras diferentes”, disse Fabiana, afirmando que algumas pessoas preferem plantas com flores, já outras somente com folhagem. “O contato com a natureza é meditativo. É uma forma de fazer as pessoas se ‘curarem’ do estresse com a prática de jardinagem urbana”, explica.

Para quem deseja ter um desses pequenos jardins em casa, mas prefere fazê-los, é importante ter um conhecimento mínimo sobre a técnica a fim de garantir que as plantas selecionadas se adaptem adequadamente ao ambiente em que vão ficar. A profissional indica que as pessoas comecem com as plantas de fácil manuseio, como as suculentas e cactos, mas quem deseja ir além pode até arriscar ter uma horta em vasinhos nas janelas ou quem sabe até umas orquídeas. “Meu desejo é que a jardinagem urbana seja um vício”, declara Fabiana.

A média de valores dos mini jardins tanto para comprar, quanto para fazer em casa, depende muito do tamanho e tipos de vegetação utilizada, mas podem custar de R$ 35,00 a R$ 250,00. Além dos modelos mais convencionais, é possível encontrar também mini jardim em forma de kokedamas, terrários e em troncos, com estilos que vão do moderno ao rústico.

Deixe seu comentário