Poucos catadores participaram do primeiro encontro realizado na tarde de ontem, na Associação de Moradores do Bairro Municipal

Arroio São Miguel. Tema foi o primeiro a abordado em uma serie de encontros que visam a preservação ambiental

O impacto do lixo na água e na saúde da população foi o foco da primeira palestra realizada com os catadores de material reciclável na tarde de ontem. Foram mencionadas doenças provocadas pelas águas contaminadas e os danos gerados com o descarte incorreto do lixo. E nesse contexto, as palestrantes destacaram a importância da atuação dos catadores na redução desses problemas ambientais.

O encontro integra uma série de reuniões que se prolongam pelos próximos dias, dentro de um trabalho que vem sendo desenvolvido por técnicos da Prefeitura visando preservar o Arroio São Miguel. A responsável pelo setor de Vigilância em Saúde, Silvana Schons e a assessora especial da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Joana Santos palestraram sobre o tema por cerca de um hora e 30 minutos.

Silvana iniciou falando sobre a importância dos recursos hídricos para o planeta e a população. “Água é vida, 70% do nosso corpo é formado por água”, salientou. Ela acrescentou que uma pessoa pode ficar alguns dias sem comer, mas não sem tomar água.

A chefe da Vigilância lembrou as mudanças no sistema de vida nos últimos 50 anos, o aumento da população e diferenças nos hábitos que impactam no meio ambiente. Silvana explicou o ciclo da água, mencionando a evaporação e depois a formação das chuvas, enquanto a poluição dos arroios e rios é um obstáculo para manter a qualidade desses recursos. Como exemplo de dano ambiental, ela acrescentou que a redução dos peixes, por causa do lixo nas águas, é uma das razões para o aumento dos mosquitos.

Dos cerca de 30 catadores cadastrados durante as visitas que iniciaram esse trabalho pela preservação do Arroio São Miguel, apenas seis participaram da reunião. O número, porém, não desanimou as palestrantes. “Vocês são heróis anônimos”, repetiu Silvana. Ela frisou a importância do trabalho dos catadores, pois estão na cadeia da reciclagem que garante um destino adequado ao lixo.

Maria Simone cata latinha e trabalha na distribuição de panfletos

O catador João Valdemir de Mattos, 61 anos, trabalha nesse meio há 20 anos e gostou da palestra. “A gente já faz como eles disseram”, declarou, referindo-se ao destino adequado do lixo. O catador Edson Luiz Schwig, 50 anos, há sete coleta material reciclável pela cidade. Ele também achou produtiva a palestra e está na expectativa do que será abordado nos próximos encontros. A montenegrina Maria Simone Gomes Ribeiro, 31 anos, tem na coleta de latinhas um complemento da renda, ganha também com a distribuição de panfletos. Ela gostou do encontro e observou ter aprendido muito sobre o impacto do lixo na água.

Fiscalização e consciência

Joana e Silvana observam que a população deve denunciar quem faz descarte em áreas verdes

Durante o encontro, alguns catadores cobraram maior fiscalização da Prefeitura para evitar o acúmulo de lixo descartado em áreas verdes. Silvana Schons e Joana Santos, no entanto, ponderam a necessidade de mais conscientização da população, uma vez que existe serviço de coleta de lixo na cidade.

Joana acrescentou que são realizadas palestras sobre o assunto nas escolas, uma vez que os alunos são multiplicadores de ações junto às famílias. Da mesma forma, ela pediu aos catadores que também auxiliem nessa conscientização da comunidade. Silvana disse ainda que a população pode denunciar quando ver alguém descartando lixo em local incorreto. Ela salientou que não é preciso se identificar e colocou o telefone da Vigilância, 3632-1113 à disposição para denúncias.

As palestrantes esclareceram que um destino adequado ao lixo e a disponibilidade de água potável são pilares do saneamento básico, fundamental para uma qualidade de vida. Silvana lembrou que o investimento em saneamento básico reduz a necessidade de recursos para a saúde, pois é uma prevenção a doenças.

Próximos encontros
Dia 14, Hoje – das 14 às 16h – Palestra “Resíduos sólidos”
Dia 16, quinta-feira – das 14 às 15h – Palestra “Os Problemas causados pelo lixo”; e das 15 às 17h – palestra sobre “Saneamento básico”
Dia 17, sexta-feira – das 14 às 16h – Palestra e orientação sobre cooperativismo
Dia 20 – das 14 às 16h – Reunião com a comunidade para definição sobre local para descarte de materiais
Dia 21 – das 14 às 16h – Reunião sobre como amenizar o prejuízo ambiental

Deixe seu comentário