No Parque Centenário há equipamentos quebrados e enferrujados, o que traz insatisfação aos frequentadores assíduos

Espaços são adequados para abandonar o sedentarismo sem gastar dinheiro, mas conservação não está em dia

Na Praça São Pedro, a situação de descuido se repete e a quantidade de equipamentos é pequena

As academias ao ar livre são uma ótima opção para quem deseja fazer atividade física, principalmente na terceira idade. Por ter um ambiente agradável, esses espaços têm aparelhos que ajudam a trabalhar a força muscular e a ativar as articulações. No entanto, é importante sempre ter a orientação de um profissional e um acompanhamento na hora de se exercitar. E, claro, contar com equipamentos em boas condições.

Nas academias ao ar livre, existem aparelhos que ajudam a trabalhar a cintura e a fortalecer os músculos, como as barras, por exemplo. Já as máquinas que simulam o transporte ajudam na queima calórica e na ativação das articulações. Vale lembrar que para perder peso é importante associar à atividade física uma dieta equilibrada e planejada.

Para Marilia, a existência da academia no Parque Centenário é fundamental

Para Marilia Guimarães, 65 anos, a existência da academia no Parque Centenário e em outros ambientes abertos é fundamental. Porém, o que a deixa triste é o descuido. “Isso (os aparelhos) já existe aqui há cerca de quatro anos e desde que foram colocados eu sempre venho me exercitar. Mas com tempo foram se estragando e ninguém veio consertar”, lamenta. Ela acredita que grande parte das ocorrências é por conta do vandalismo, mas acredita que a Prefeitura deveria fiscalizar melhor, já que se trata de um espaço público.

Ela ainda aponta a falta de limpeza no local. De acordo com Marília, muitas pessoas deixam de usar o parque pela vegetação alta e pelos descartes incorretos de lixo. “O grande problemas é que as pessoas não cuidam direito do que têm e o pessoal que limpa não dá conta. Quanto à grama, já passou da hora de cortarem. Essa sujeira afasta os visitantes”, diz.

Marlene aponta a falta de mais bebedouros no local

Amiga de Marília, Marlene Almeida, 60 anos, também frequenta o espaço cinco dias por semana, com exceção dos dias de chuva. Ela já praticou exercícios em academias pagas, mas prefere ao ar livre. “É bom, porque a gente pode fazer em um ambiente com sol, um ventinho bom e ainda é gratuito. Acho que melhora muita a disposição e até o rendimento”, comenta.

No entanto, ela também aponta os descuidos com a área esportiva do Parque Centenário. Marlene lembra ainda de outro fator que traz desconforto a muitos que praticam esportes no parque. “Só tem um bebedouro. Aí as pessoas têm que ficar se deslocando até o local para pegar água. Frequento aqui há um bom tempo e muita gente vem aqui todos os dias. É essencial, portanto, que tenha mais bebedouros espalhados”, declara a atleta.

Cuidado ao fazer exercícios por conta própria

Michael destaca que ajudaria muito se houvesse placas com as instruções de como usar corretamente cada tipo de equipamento

Preparador físico e pós-graduado em Movimento Físico, Michael Stanislau, 28 anos, chama a atenção para um fator importante: a instrução de um especialista. O montenegrino ainda usa o espaço do Parque Centenário para seus treinamentos e aulas e afirma que a academia do local é muito procurada por ser gratuita e ao ar livre. “É um espaço muito bom para quem deseja sair do sedentarismo, mas é necessário ter cuidado. Qualquer exagero pode gerar fortes dores ou até lesões mais graves”, alerta.

Ele destaca que ajudaria muito se houvesse papéis com as instruções de como usar cada equipamento, indicando a movimentação e algumas orientações básicas. “Outra opção, que vejo em outras cidades, é a contratação de um preparador que fique no local em um determinado horário. Não gera um custo tão alto, pois não fica um dia inteiro, e orienta os usuários”, opina o especialista.

A responsabilidade pela academia ao ar livre do Parque Centenário é a Diretoria de Desporto, que é ligada à Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC). Por meio da Assessoria de Comunicação de Montenegro (Acom), o setor afirma que já analisou o local e identificou danos em aparelhos dispostos no Parque. A Secretaria aponta a falta de cuidado, por parte da comunidade, em relação a esses equipamentos, afirmando que a população deve zelar pelo patrimônio público, usando com prudência os equipamentos dispostos pela área de lazer.

Na mesma manifestação, a Smec denuncia que por muitas vezes, jovens e, principalmente, crianças, foram flagrados usando de forma imprudente os aparelhos e, muitas vezes, ocupando o lugar de pessoas que gostariam de usar os equipamentos para a prática de exercícios físicos. A Administração Municipal solicita que os usuários tenham mais cuidado e que os pais orientem seus filhos a não usarem os aparelhos com o intuito de brincar.

Quanto aos consertos, o setor garante entender a importância e o valor que a academia possui para a comunidade e afirma que está buscando subsídios para a troca e a reposição dos aparelhos danificados, bem como para a implantação de placa de identificação em cada um deles. “Esclarecemos que alguns desses aparelhos estão em pleno funcionamento e estão sendo utilizados pela comunidade. Os equipamentos serão consertados após outras prioridades da cidade serem atendidas”, diz a nota oficial do Município. O órgão, porém, não deu prazos para as reparações nem respondeu se pretende ou não colocar mais bebedouros no Parque Centenário.

Deixe seu comentário