Inter, Brasil de Pelotas, Campeonato Gaúcho, futebol, Patrick
Volante Patrick foi um dos poucos destaques do Inter na partida Foto: Ricardo Duarte / divulgação Inter

A partida entre Brasil de Pelotas e Inter teve dupla participação destacada da arbitragem. Primeiro porque um dos assistentes é de Montenegro: Michael Stanislau trabalhou em seu primeiro jogo da dupla Gre-Nal neste ano. E segundo porque o árbitro Roger Goulart chamou a atenção no confronto, distribuindo cartões para os dois lados e não marcando falta clara que originou o único gol da partida.

No fim, melhor para o xavante, que derrotou o time reserva do Inter por 1 a 0 em jogo fraco tecnicamente, e continua invicto no Gauchão. O primeiro lance capital do jogo foi aos 33 minutos. Depois de falta cometida na intermediária de defesa, o lateral-direito Ruan recebeu o segundo cartão amarelo, foi para o chuveiro mais cedo e deixou o Inter com um a menos. A decisão do árbitro irritou os atletas colorados.

Aos 40 da etapa inicial, Rodrigo Dourado foi derrubado no meio-campo, o árbitro não marcou nada, o Brasil de Pelotas aproveitou e Itaqui, na meia-lua da grande área, chutou forte para abrir o placar. Enquanto isso, o árbitro Roger Goulart seguia apresentando cartões. Ao todo, foram 11, sendo dois vermelhos (um para cada lado) e nove amarelos. A expulsão pelo lado xavante foi de Leandro Camilo, aos 44 do segundo tempo.

O Inter volta a campo na quinta-feira, às 20h30min, contra o São José, no Beira-Rio.

Deixe seu comentário