Em termos de produção, o mercado brasileiro cresceu 25% em 2017 na comparação com o ano anterior. fotos: Volkswagen/Divulgação

O mercado automotivo brasileiro precisa erguer as mãos ao céu e agradecer pelo ano de 2017. É que no último ano o setor retomou uma boa parte do terreno perdido desde a crise iniciada em 2014. Conforme a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o último ano fechou com 2,69 milhões de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus fabricados no Brasil. Esse número representa evolução de 25,2% na comparação com o resultado de 2016. É o primeiro resultado positivo depois de três anos consecutivos de queda.

Para este novo ano, a entidade projeta uma nova curva ascendente, porém numa escala menor. Baseada no aumento da demanda do mercado interno e também das exportações, a expectativa é produzir 13,2% a mais do que 2017, ou seja, o mercado nacional deve bater a casa de três milhões de veículos. Trabalha-se com a perspectiva de 3,05 milhões de unidades, com 2,93 milhões de veículos leves e 120,3 mil pesados.

“É um número a se comemorar, mas não podemos perder de vista o fato de que a ociosidade segue alta na nossa indústria”, alerta o presidente da Anfavea, Antonio Megale. Segundo ele, 47% da capacidade produtiva do setor, que gira em torno de 4,5 milhões a cinco milhões de veículos/ano, segue parada. Nas fábricas de caminhões, os números foram assustadores, pois encerraram 2017 com 75% de ociosidade.

“A produção enfim voltou a crescer, mas com volume ainda um milhão de veículos abaixo do registrado em 2013, que foi o nosso recorde”, compara o dirigente do setor. Em 2018, conforme ele, será possível amenizar ainda mais esta distância com aumento de vendas no País e exportações. Contudo, o executivo acredita que a indústria só vai voltar ao seu melhor patamar histórico após 2022.

Chevrolet Onix é tricampeão de vendas

Pelo terceiro ano consecutivo, o Onix foi o carro mais vendido do Brasil. foto: GM/Divulgação

De janeiro a dezembro de 2017, 188.654 unidades do Onix foram comercializados no Brasil. Com isso, conquistou o título de tricampeão brasileiro de vendas: 2015, 2016 e 2017. Carro confiável e com baixo nível de desvalorização, o hatch deixou bem para trás o segundo e o terceiro colocados — HB20 e o Ford Ka, respectivamente.

Morador de Pareci Novo, o representante comercial Kleiton Laux, 35 anos, possui um carro adequado ao desafio diário de encarar as ruas e estradas brasileiras e, além disso, consegue médias de consumo que superam os 14 quilômetros por litro de gasolina, em rodovia. Dono de um Onix LTZ 1.4 desde janeiro de 2016, ele está muito satisfeito com o que o automóvel proporciona. “Foi uma ótima compra. Na época, comparamos outros carros na mesma faixa de preço e o Onix tinha o melhor custo-benefício”, recorda. Laux elogia também o espaço interno e o conforto. “Ele une essas qualidades à economia, já que não gasta muito combustível e tem baixo custo de manutenção”, acrescenta.

As marcas líderes em emplacamentos
A Chevrolet também ficou com o posto de quinto carro mais vendido do Brasil em 2017. É o Prisma, que deixou bem para trás o Voyage. Foram 68.988 unidades do Chevrolet contra 40.822 do Volkswagen. A lista dos 10 mais vendidos traz o sedan Corolla em sétimo, a picape Strada em oitavo e a picape Toro em décimo. Todos os demais do ranking são carros compactos.

Por sinal, o médio da Toyota, que agora ganha espaço no RS nas mãos da Brigada Militar, emplacou mais que o dobro do maior rival, o Civic, cuja produção está no limite da capacidade. A Honda prioriza o HR-V, que foi o SUV mais vendido de 2015 e de 2016, porém perdeu o trono para o americano Jeep Compass, com 49.187 unidades vendidas e 11º no ranking geral.

A marca da gravatinha dourada tem outro título para comemorar neste início de ano. É que foi a empresa que mais emplacou carros novos em 2017. Embalada no sucesso do Onix, carro produzido em Gravataí, ela atingiu a marca das 394.099 unidades, isto é, mais de 100 mil automóveis à frente da Fiat, segunda colocada, que fechou o último exercício com a venda de 291.324 veículos. Líder no Vale do Caí, a Volkswagen ficou em terceiro no País, (272.079 unidades) e a Ford, em quarto (206.746 emplacamentos).

Os top 50
A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa o setor de distribuição de veículos no Brasil, divulgou nesta semana as estatísticas de dezembro e de todo o ano passado. Confira abaixo quais foram, segundo a entidade, os 50 carros mais vendidos do País em 2017:

Deixe seu comentário