Secretário tem 48 anos de idade e 25 de atuação na iniciativa privada

Adriano Campos Chagas assumiu a Secretaria de Meio Ambiente na última semana e promete transparência

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) sofreu uma importante mudança na semana passada. Rafael de Almeida foi exonerado da função, sob a alegação de que havia uma necessidade de novos direcionamentos ao setor – e, no lugar dele, assumiu a pasta o montenegrino Adriano Campos Chagas.

Adriano é técnico em tratamento de resíduos industriais, formado pelo Centro Tecnológico do Couro, e tem registro no Conselho Federal de Química. Ele tem 25 anos de carreira na iniciativa privada, realizando atividades relacionadas com a legislação ambiental. Começou sua trajetória trabalhando em um cortume de Novo Hamburgo, onde pode conhecer os regramentos de controle de resíduos do segmento, que são bem rígidos.

Após, atuou por quatro anos no frigorífico da Perdigão, onde ajudou na instalação do sistema da unidade de abate de suínos e na implantação da estação de tratamento de efluentes (ETE). Seu próximo emprego foi em Águas Claras, na Companhia de Bebidas da Brahma, onde também atuou na implantação de uma ETE, além de uma estação de tratamento de água. Na empresa, foram quatro anos como técnico de ambas as estações.

O novo secretário também trabalhou na área de petroquímica, tendo atuado em diversos segmentos dentro da obra de ampliação da refinaria Alberto Pasqualini, em Canoas. Esteve com as empresas terceirizadas que ali prestaram, dentre outros, serviços de terraplenagem, fundações, eletromecânica, montagem industrial e implementação de equipamentos, na posição de coordenador de segurança do meio ambiente. No pico da obra, chegou a fazer essa coordenação em uma equipe de quase 10 mil funcionários.

Após 10 anos na refinaria, Adriano foi contratado pela empresa Sapotec Sul, de Porto Alegre – organização ligada a um grupo alemão especializado em engenharia ambiental. Lá realizou diferentes atividades, como avaliações para a construção de shoppings e a recuperação de áreas degradadas, em processos de biorremediação. Em um dos trabalhos para a Sapotec, atuou na remoção de todos os resíduos do aterro Benópolis, da capital – o primeiro da cidade, nas proximidades de onde hoje fica a Arena do Grêmio e o bairro Humaitá – com o gerenciamento, a retirada do lixo e a extração do metano.

EXPERIÊNCIA DA INICIATIVA PRIVADA
O novo secretário de Meio Ambiente, Adriano Campos Chagas, faz questão de frisar que a Prefeitura tem um interesse muito grande nas questões ambientais e que está buscando ser totalmente transparente em relação às atividades que realiza nesta área tão importante. Para isso, Adriano propõe algumas melhorias internas de processo.

“Pelo fato de eu ter vindo de uma empresa privada e pelo fato de eu ter muita experiência nesta parte de gerenciamento de pessoal e de conhecimento técnico das questões que envolvem o meio ambiente, meu principal objetivo é qualificar nossa Secretaria através de ferramentas usuais da iniciativa privada”, coloca o secretário.

O novo titular do Meio Ambiente exemplifica que um sistema de qualidade, técnicas de fluxo, padronização na elaboração de documentos e um sistema de gerenciamento de pessoal serão alguns dos novos procedimentos a serem implementados. “E, dentro disso tudo, vamos atender integralmente a legislação”, frisa.

CONVITE INFORMAL DO PREFEITO
Adriano Campos Chagas é professor e mestre faixa preta de jiu-jitsu. Ele vinha trabalhando como instrutor do esporte para o prefeito Carlos Eduardo Müller, o Kadu, e conta que o convite para assumir o Meio Ambiente deu-se “naturalmente”. “Eu não tenho intimidade com o prefeito. Ele descobriu que eu tinha bastante experiência na área e me fez um convite informal para ver se eu não teria interesse em conversar com ele a respeito de um possível cargo”, conta.

O secretário, de seus empregos anteriores, havia tido alguma experiência com o Poder Público em trabalhos de consultoria para prefeituras e o Estado. “Como eu sou uma pessoa que gosta de desafios e estou sempre procurando me especializar, feita a conversa, eu resolvi aceitar o cargo.
Levando em conta toda a situação do município, eu acho que vou conseguir implementar muitas melhorias que irão refletir no bem-estar da comunidade e passar uma imagem positiva do governo atual”, aponta. “O prefeito não quer que a comunidade sofra com descaso nas questões ambientais.”

ROÇADA E LIMPEZA SÃO PRIORIDADES
“Pelo fato de o governo querer recuperar a credibilidade, o que a gente tem que atacar em primeiro plano? O que a população vê e não está gostando”, diz o novo secretário em resposta às diversas críticas à Secretaria quanto aos serviços de limpeza e roçada das ruas do município. Logo que chegou, Adriano procurou fazer uma leitura do atual cenário para verificar estas necessidades. “De posse dessa leitura, já busquei mecanismos que vão acelerar e melhorar este tipo de serviço”, ressalta.

Adriano pontua que o principal problema é o déficit nos equipamentos para a realização do trabalho. Segundo ele, faltou um planejamento a longo prazo para a reposição dessas máquinas conforme seus anos de uso fossem passando. Além disso, o custo com pessoal – que é preponderantemente de apenados – também não foi devidamente calculado para atender a demanda.

“Com essa informação, eu fui procurar recursos para que essas ferramentas sejam compradas imediatamente e que a gente consiga, em caráter emergencial, uma possibilidade de aumento de pessoal”, coloca. Para isso, o secretário cita a contratação de uma empresa terceirizada para a roçada – o que demandaria a abertura de processo de licitação que, para ele, é um processo bastante burocrático – ou a vinda de verba para aumentar o número de apenados. “A comunidade pode ficar tranquila, que esse é o ponto principal que queremos melhorar”, finaliza.

CARÁTER MAIS PRÓ-ATIVO
Nos bastidores, comenta-se que a saída de Rafael de Almeida – o antigo titular da SMMA – deu-se porque ele era “cauteloso demais” na emissão de licenças ambientais a novos empreendimentos. O novo secretário chega com um posicionamento diferente. Respeitando as legislações, Adriano afirma que “uma secretaria não pode ter um caráter restritivo, ela tem que ter um caráter pró-ativo”.

Diz que pretende trabalhar para ajudar os empreendedores, que são “quem roda o município”. “Eu tenho o conhecimento do que precisa, mas o empreendedor é leigo. A Prefeitura, hoje, tem uma preocupação em, ao invés de restringir ou punir o empresário, querer ajudá-lo a se posicionar positivamente frente à legislação ambiental vigente”, declara. O secretário frisa que a SMMA está de portas abertas para quem precisa de qualquer tipo de esclarecimento.

Deixe seu comentário