Para contar a história de Garibaldi, o grupo Essência Nativa criou dois navios cenográficos

20 de Setembro. Entidades mostraram o orgulho de ser gaúcho com momentos cívicos em cidades da região

As entidades que participaram do desfile de 20 de Setembro em São José do Sul deram um verdadeiro espetáculo e uma aula de história na manhã de ontem. Os festejos farroupilhas deste ano tiveram como tema “Farroupilhas: idealistas, revolucionários e fazedores de história” e foi justamente isso que a comunidade pode acompanhar durante a parada. Para entrar no clima, o Grupo Instrumental do município realizou a apresentação de diversas músicas antes do desfile, entre elas uma interpretação de “Querência Amada”, de Teixeirinha.

Logo no início, as crianças da Creche Laranjinha surpreenderam ao distribuir erva e também pedaços de carne assada e salsichão aos populares. A Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Jacó Pedro Calsing apresentou a história de Onofre Pires, inclusive com a encenação do duelo dele com Bento Gonçalves. Joaquim Teixeira Nunes foi homenageado pela EMEF João Lerner e a escola Professora Valéria Maria Kirch homenageou Antônio de Souza Netto e David Martins Canabarro. A homenagem para José Mariano de Mattos e Afonso Corte Real ficou por conta da Escola Estadual de Ensino Fundamental São José do Maratá, que realizou uma marcha silenciosa e em protesto pelo parcelamento do salário do funcionalismo público.

Na sequência, foi a vez do Grupo de Artes Essência Nativa apresentar a história de Giuseppe Garibaldi. A entidade mostrou passagens da vida do revolucionário italiano e levou para o desfile dois barcos cenográficos e encenou batalhas que arrancaram aplausos do público. “Estávamos inseguros, porque era algo novo, mas os aplausos mostram que deu certo”, destacaram a patroa do grupo, Paula Schons, e a secretária, Kátia Ertel. Como é de costume, o Essência Nativa busca sempre trazer algo novo para a parada, o que cria expectativa. “Ano que vem tem que ser melhor”, garantiram.

Fechando o desfile vieram os representantes do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Peleadores do Sul. Seu homenageado era o líder da revolução, Bento Gonçalves. Além de contar a história do revolucionário, o grupo também apresentou uma dança com sua invernada mirim e desfilou com seus cavaleiros. “O preparo é sempre desgastante, mas recompensa no final”, afirmou o agregado das pilchas da entidade, Adriano Kniest. Ele salientou ainda a importância da participação da comunidade, que se fez presente em peso e aplaudiu as entidades.

Desfiles também em Brochier e Maratá
Em Brochier, o desfile em memória da Revolução Farroupilha também aconteceu pela manhã. Além do CTG Rincão do Brochier, participaram da passeata todas as escolas do município e outras entidades, inclusive o CTG Encontro das Águas, de Maratá. De acordo com o patrão da entidade tradicionalista brochiense, Paulo Dahmer, a Semana Farroupilha teve saldo positivo na cidade. “Conseguimos trazer bastante público ao CTG”, apontou. Paulo destacou ainda a ótima participação das entidades no desfile, que durou cerca de uma hora e meia.

O CTG Encontro das Águas, de Maratá, protestou contra o parcelamento do salários dos professores estaduais e ainda trouxe a participação das crianças, que demonstra a continuidade da cultura gaúcha.

Para o vice-patrão do CTG, Rudinei Garcia de Vargas a data demonstra a celebração da cultura herdada dos antepassados e o crescimento do tradicionalismo na comunidade. “Esta é uma data significativa e muito importante para todos nós”.

Deixe seu comentário