Produtor comercializa frutos recém colhidos por R$ 4,00 o quilo. Propriedade fica às margens da ERS-124

Uvas. Sérgio Sachet comercializa frutos diretamente para os consumidores

Sérgio diz que as uvas estão mais doces que as da safra passada

Iniciada há cerca de 30 dias, a colheita da safra de uva continua na propriedade de Sérgio Sachet, 50 anos. Natural de Farroupilha, onde também mantém parreirais, ele produz em Pareci Novo o fruto base do vinho há 10 anos. Porém, as uvas colhidas na propriedade às margens da ERS-124, próximo do pórtico da cidade, não viram insumos. Elas são vendidas diretamente para os consumidores num quiosque montado ao lado da propriedade. Apesar de existir um espaço limitado do parreiral onde os visitantes podem caminhar, a colheita por parte deles não é permitida, por questões sanitárias.

A projeção de Sérgio é que, até o final do mês, os clientes ainda possam comprar as frutas recém colhidas em sua propriedade. “Mas acho que vai entrar (a venda) em fevereiro”, ressalta. Como muitos consumidores estão pedindo pela variedade Rainha Itália, o produtor estuda trazê-las de Farroupilha para comercializar. Na propriedade de Pareci Novo, são produzidas as variadades Niágara Rosada e Niágara Branca, além de Isabel Preta, que já não está mais sendo colhida.

Estimativa do viticultor é que colheita em Pareci Novo atinja 15 toneladas

Conforme Sérgio, esse ano a safra ficou abaixo da média, podendo chegar a 15 toneladas. Em outros anos, o produtor chegava a colher até 30 toneladas nos 2,5 hectares de parreiral em Pareci Novo. “Qualidade tem, mas não tem quantidade. A uva está mais doce que a da safra passada”, destaca. O viticultor comenta ainda que este ano não houve colheita de lichia, fruta originária da Ásia e que fez bastante sucesso na última safra.

Destacando que a cada ano o movimento em sua propriedade aumenta, Sério diz que o que mais escuta dos clientes são comparações de suas uvas com as achadas nas grandes redes de supermercados. “Dizem que, no mercado, a uva está batida, feia. As daqui se aproveita todo o cacho”, garante. O viticultor comercializa sua produção por R$ 4,00 o quilo e tem sua propriedade aberta de segunda-feira a domingo das 7h às 19h. Além dos frutos, Sérgio também vende suco natural e vinho, ambos feitos em sua propriedade em Farroupilha.

Na Serra Gaúcha, o produtor conta com outros 2,5 hectares de parreiral. Lá a produção é dividida entre a venda direta para os consumidores e a fabricação de vinho e suco. Em Pareci Novo, a produção de uva também é uma aposta da família Weber, que já concluiu a safra deste ano.

Deixe seu comentário