O Rio Grande do Sul entra, a partir desta quinta-feira (4), na rota dos apaixonados por cerveja. O governador José Ivo Sartori sancionou o Projeto de Lei 38/2016, aprovado por unanimidade pelos deputados estaduais em dezembro passado, que cria a Região das Cervejarias Artesanais no estado.

A rota integra 22 municípios, inclusive cidades do Vale do Caí. A tradição das cervejarias gaúchas começou no século 19, com a colonização germânica. Hoje, o Rio Grande do Sul é o segundo no ranking de cervejarias do Ministério da Agricultura, perdendo apenas para São Paulo.

“A nossa cidade, desde 2015, é a Capital Nacional da Cerveja Artesanal. Esse encontro vem para impulsionar a região. A cerveja é muito mais que uma bebida, é história e tradição”, ressaltou o prefeito de Feliz, Albano José Kunrath.

O mercado cervejeiro brasileiro está entre os três maiores do mundo, atrás apenas de China e Estados Unidos. Segundo o Instituto da Cerveja, o consumo no país movimentou R$ 77 bilhões em 2016, o que corresponde a 1,6% do PIB.

As microcervejarias são responsáveis por menos de 1% do faturamento do setor, mas, de 2007 a 2015, houve um aumento de mais de 500% no número de microcervejarias no país. A concentração econômica registra que 91% delas estejam nas regiões Sul e Sudeste, segundo estimativa feita há dois anos.

O setor é, ainda, um dos que mais emprega, com mais de 2,2 milhões de trabalhadores ao longo da cadeia de produção.

Os municípios da Rota das Cervejarias Artesanais
Os municípios que farão parte da nova rota são Alto Feliz, Campo Bom, Feliz, Igrejinha, São Vendelino, Sapiranga, Três Coroas, Vale Real, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Estância Velha, Ivoti, Dois Irmãos, Morro Reuter, Santa Maria do Herval, Presidente Lucena, Linha Nova, Picada Café, Nova Petrópolis, Gramado, Canela e São Francisco de Paula.

Deixe seu comentário