A Universidade de Nevada, nos EUA, publicou recentemente um estudo sobre o impacto da tecnologia em problemas físicos em nosso corpo, mais especificamente a respeito de como o uso de tablets tem causado rigidez, dor e sofrimento a 84,6% dos consumidores. A mesma pesquisa mostra que 65,4% também acusam incômodo nas costas e nos ombros e esse “mal moderno” ganhou até mesmo um nome (ou dois): “Pescoço de tablet” ou “Pescoço de iPad”.

“As pessoas estão chegando com dores no pescoço e não estão percebendo que (o uso de tablets) é de onde vêm esses problemas. Perguntamos a eles: ‘O que você anda fazendo bastante?’ E todo mundo diz que anda olhando muito para o telefone ou para o tablet”, afirmou o médico John Abrahams, do Brain & Spine Surgeons of New York, em entrevista ao New York Post.

Outro ponto curioso relacionado a esses dados é que dos 412 estudantes universitários examinados, mais de 70% que apresentaram esses sintomas são do sexo feminino. Como as mulheres costumam ter o quadril mais largo ou possuem braços mais curtos e ombros estreitos, elas são mais propensas a se sentar no chão sem algum encosto para as costas ou de outras formas inadequadas.

Flexionar o pescoço para frente por longos períodos pressiona a coluna, o que tensiona os músculos da região, incluindo os ombros. E sentar sem o apoio das costas aumenta as chances desse desconforto piorar.

A solução mais fácil seria conseguir um bom assento como suporte, como uma boa cadeira, ou sustentar o dispositivo em um nível mais confortável, onde você possa olhar sem ter que forçar o pescoço e as costas.

Deixe seu comentário