Kadu (D) expôs a situação com o secretário da Fazenda, Nestor Bernardes (C), e o chefe de gabinete, Edar Borges

Balanço divulgado pelo prefeito Kadu Müller indica que, apesar dos números, a situação é melhor do que a prevista

Cais do Porto das Laranjeiras é um dos cartões postais de Montenegro, e precisa de melhorias

O prefeito de Montenegro, Carlos Eduardo Müller, o “Kadu”, reuniu a imprensa ontem (24) para dar uma notícia que pode ser boa ou não, dependendo do ponto de vista. O balanço de 2017 revela que a Administração Municipal encerrou o ano com déficit de R$ 6,7 milhões. O aspecto positivo desse número é ser inferior ao esperado, pois a estimativa era fechar o ano devendo R$ 21 milhões, além de ser menor do que o apurado em 2016, quando as dívidas deixadas chegaram a cerca de R$ 15 milhões.

Os números foram revelados pelo prefeito ao lado do secretário da Fazenda, José Nestor de Oliveira Bernardes, e do chefe de Gabinete, Edar Borges Machado. “Não é o melhor, mas foi o melhor que conseguimos fazer”, declarou Kadu. Embora a dívida acumulada, ele avalia a situação de forma positiva, considerando que a redução do déficit para menos de 30% do previsto foi conseguida em apenas quatro meses, tempo em que está no cargo. Ele salientou várias vezes o esforço da equipe de governo e o empenho das secretarias para chegar a esse resultado. E também mencionou o apoio da Câmara.

Ao fazer a avaliação, o prefeito lembrou que assumiu em agosto, inicialmente de forma provisória, por 180 dias, mas, no mês seguinte, em definitivo em consequência do impeachment do então prefeito Luiz Américo Alves Aldana. Kadu observou que montou a equipe em meio à crise política e econômica no país e em Montenegro. “A Prefeitura é uma empresa que não gera lucros, mas resultados”, afirma.

Nesse caso, o resultado seria atender as expectativas da população. Kadu reconhece que, para ajustar as contas, precisou deixar de atender a muitas necessidades. “Foi um período bem complicado, primeiro de análise interna”, acrescentou. “Tivemos de dizer não muitas vezes, parecer injustos”, disse. O prefeito afirma que o desejo era ter entregue a Biblioteca Pública concluída, assim como ter garantido as melhorias necessárias no Parque Centenário, no Morro São João, no Cais do Porto das Laranjeiras, entre outras.

Além das dificuldades financeiras, Kadu mencionou ter havido licitações que não tiveram êxito por falta de concorrentes. “Houve empresas que disseram não quererem ter o nome vinculado ao da Prefeitura”, acrescenta. “Conseguimos atender ao básico”, resume.

O secretário da Fazenda, José Nestor de Oliveira Bernardes, reforçou a manifestação do prefeito, dizendo que o resultado foi bom e alcançado com muito esforço. “Tivemos que fazer um trabalho forte, reduzindo tudo, luz, água, combustível, evitando nomeações”, exemplificou. “E com mais o Refis (Programa de Refinanciamento de Crédito), chegamos a esse nível que consideramos muito bom”, analisa. Números mais detalhados da dívida serão divulgados em audiência pública programada para o próximo dia 19, na Câmara Municipal.

Expectativa otimista para o ano de 2018
O prefeito Carlos Eduardo Müller espera encerrar este ano sem déficit e com os R$ 6,7 milhões pendentes do ano passado pagos. “Queremos sanar (a dívida) esse ano e deixar o município com capacidade de investimentos”, afirma Kadu. Ele acredita que esse desafio será vencido com melhor gestão em todas as secretarias, que farão o monitoramento mensal da situação.

Kadu salientou também a importância dos montenegrinos colaborarem, optando por comprar em Montenegro e exigindo a nota fiscal, atitude que reflete na arrecadação de impostos. “A população deve estar consciente de que, pedindo a nota, terá retorno”, acrescenta. Ele mencionou que a dívida ativa é de R$ 89 milhões e que os planos para melhorar a situação das finanças municipais incluem trabalho de resgate desse valor. O secretário da Fazenda, José Nestor de Oliveira Bernardes, observa a expectativa de melhora na receita municipal com maior arrecadação de impostos e a continuidade do Refis.

Revitalização do Cais do Porto prevista
Ao lado da redução do déficit municipal, o prefeito Kadu menciona a confirmação de verbas federais que atendem a reivindicações da população. Entre outras, ele citou o empenho de R$ 1,5 milhão para a Trancitrus e o investimento de R$ 270 mil que será feito no embelezamento do Cais do Porto das Laranjeiras.

Para o local, um dos cartões postais de Montenegro, Kadu afirma que o projeto de revitalização está sendo finalizado e, na sequência, será aberta a licitação. Seu desejo é que, no mês de aniversário de Montenegro, em maio, já tenha sido definida a empresa vencedora que fará a obra de melhoria na estrutura do cais.

Deixe seu comentário