Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

O prefeito de Maratá, Fernando Schrammel, assinou na manhã desta sexta-feira um decreto de anormalidade que tem vigência de 26 a 28 deste mês. O documento aponta a paralisação dos caminhoneiros e o consequente desabastecimento dos postos de combustível como fator que levou ao decreto, já que a frota da Prefeitura não pode mais ser abastecida. Assim, os serviços afetadas pela falta de gasolina ou diesel deverão ser paralisados, ficando a prioridade para utilização de combustível aos veículos da área da saúde e de outras áreas se ocorrer situações de emergência.

O decreto estabelece ainda que os servidores vinculados às áreas paralisadas, bem como alunos de ensino fundamental e médio da rede municipal e estadual poderão ser dispensados com a consequente compensação de carga horária e oportunidade futura a ser definida pelo Executivo. Os servidores que comprovadamente não puderem chegar ao local de trabalho em horário de expediente poderão ter sua falta justificada.

Deixe seu comentário