Mesmo que a inflação acumulada tenha subido, segue bem abaixo do piso da meta do Banco Central Foto: Reprodução da internet

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os números da inflação para o mês de abril. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril foi de 0,22%, ficando 0,13 ponto percentual acima do resultado de março (0,09%). Até agora, o acumulado no ano foi de 0,92%, o menor nível para um mês de abril desde a implantação do Plano Real.

IPCA em abril:
Taxa no mês: 0,22%
Acumulado no ano: 0,92%
Acumulado em 12 meses: 2,76%

Apenas Comunicação apresentou deflação em abril, com variação de -0,07%, entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados. O grupo da saúde e cuidados pessoais teve a maior variação (0,91%) e a maior contribuição (0,11 p.p.) no mês, respondendo por metade do IPCA de abril, com destaque para remédios (1,52%) e plano de saúde (1,06%).
Na habitação, a alta foi impulsionada pelos reajustes das tarifas de energia elétrica, as quais aumentaram em um percentual de 9,85% em Porto Alegre, por exemplo. Neste mesmo grupo, o preço do gás de botijão recuou 0,02%. Desde 5 de abril, vigora a redução de 4,45% no valor dos botijões de gás de 13kg, nas refinarias.

Outra alta registrada foi na alimentação. Os alimentos subiram 0,09% no mês passado. Na alimentação domiciliar, cebola, hortaliças, leite longa vida e frutas aumentaram. Já a batata inglesa, o açúcar cristal, o frango inteiro e as carnes tiveram queda nos preços.
Mesmo que a inflação acumulada tenha subido para 2,76%, depois de registrar 2,68% nos 12 meses imediatamente anteriores, segue bem abaixo do piso da meta do Banco Central, que é de 3%. Assim, é mantido o espaço para o Banco Central seguir com os planos de cortar mais uma vez os juros básicos, atualmente em 6,5% ao ano.
Também com o menor número desde o início do Plano Real, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de abril foi de 0,21%, com o acumulado do ano ficando em 0,69%.

Para saber mais sobre o cálculo

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 30 de março a 27 de abril de 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 02 de março a 29 de março de 2018 (base).

O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 05 salários mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 30 de março a 27 de abril de 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 02 de março a 29 de março de 2018 (base). (JH)

Deixe seu comentário