Petrobras confirmou pedido de demissão. Foto: Agência Brasil

A Petrobras acaba de informar que Pedro Parente pediu demissão da presidência da empresa. Ele vinha sofrendo grande pressão desde o início da greve dos caminhoneiros. Ele assumiu a presidência da Petrobras em maio de 2016, logo após Michel Temer tornar-se presidente do Brasil. Segundo a companhia, a nomeação de um CEO interino será examinada pelo Conselho de Administração ainda nessa sexta-feira, 1º, e não há previsão de alteração nos demais membros da diretoria executiva.

Presidente da Petrobras e membro do Conselho de Administração, Pedro Pullen Parente iniciou a carreira no serviço público no Banco do Brasil em 1971, e em 1973 foi transferido para o Banco Central, em ambos os casos por concurso público. Foi consultor do Fundo Monetário Internacional e de instituições públicas no País, incluindo Secretarias de Estado e a Assembleia Nacional Constituinte de 1988, tendo atuado em diversos cargos na área econômica do Governo.

Foi Ministro de Estado e o coordenador da equipe de transição do Governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso para o Presidente Lula. Neste período, foi relevante sua atuação como Presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia. Parente já foi membro do Conselho de Administração da Petrobras e Presidente deste Conselho. Atuou como Vice-Presidente Executivo do Grupo RBS e Presidente e CEO da Bunge Brasil. É presidente do Conselho de Administração da BM&FBOVESPA desde março de 2015.

Deixe seu comentário