Desníveis e buracos fazem com que carros invadam a pista contrária, aumentando riscos de acidentes no trecho que separa Montenegro de Brochier

Mobilização. Má condição da estrada faz prefeituras pressionarem autarquia, que promete ação na próxima semana

Os 18 quilômetros da ERS-411, entre o entroncamento com a RSC-287, em Montenegro, e o centro de Brochier, são marcados por desníveis e buracos. A situação não é muito melhor nos outros 5,5 quilômetros da rodovia que ligam a Capital do Carvão Vegetal a Maratá. As más condições da via, além de prejuízos, também colocam em risco a vida de motoristas, que invadem a pista contrária para desviar dos buracos; e pedestres que, sem acostamento, acabam usando a estrada.

Nilson teme que sua casa seja invadida por um veículo em alta velocidade durante a madrugada

A situação também gera preocupação para quem mora às margens da rodovia, caso do pedreiro Nilson Marcelo dos Santos, 37 anos. “Tenho medo de estar dormindo e um caminhão invadir minha casa”, relata o morador de Costa da Serra, interior de Montenegro. Sua apreensão é tamanha que ele pensa em fazer um muro reforçado na frente da residência para garantir a segurança de sua família. Observando que o asfalto possui diversos remendos, Nilson pondera que a ERS-411 precisa de um trabalho de manutenção como o feito na RSC-287 no último ano. “Parece que a região é abandonada”, critica.

“Toda a estrada está ruim. O cara se arrisca várias vezes para desviar dos buracos”, destaca o pedreiro. Apesar de não morar há muito tempo na margem da rodovia, ele observa que ela possui um tráfego intenso de dia e também à noite. “Passam vários caminhões carregados”, aponta. Nilson reforça ainda que já viu carros e veículos de carga parando no refúgio que existe perto de sua casa para trocarem pneus furados.

De acordo com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), o calvário de motoristas e a preocupação de moradores devem acabar em breve.

Questionada pelo Ibiá, a autarquia garante que trabalhos de manutenção na rodovia devem acontecer na próxima sexta-feira, dia 28. O Daer informa ainda que a última operação tapa-buracos na ERS-411 foi realizada em dezembro do ano passado. Além disso, no início deste ano, o órgão providenciou melhorias na sinalização horizontal da via, que também estava precária.

Grande número de buracos na rodovia preocupa prefeitos da região

Prefeituras pedem melhorias na rodovia
Por se tratar do principal acesso a Brochier e rota de escoamento da produção, o Executivo brochiense entrou em contato com a Superintendência Regional de Lajeado do Daer e também com a de Bento Gonçalves. Solicitou melhorias em todo o trajeto que dá acesso ao município e nos trechos que atravessam a área urbana da cidade e que ligam Brochier a Maratá. A resposta recebida foi de que a autarquia já teria feito uma licitação e que uma empresa responsável pelas melhorias foi selecionada. A promessa era de que os trabalhos iniciariam em um curto espaço de tempo.

Sabendo da importância da rodovia também para o seu município, o prefeito de Maratá, Fernando Schrammel, igualmente cobrou melhorias na Superintendência Regional do Daer em Lajeado. Inclusive, ontem ele voltou a contatar o escritório regional. “Liguei agora para o Sadi, do Daer de Lajeado, e ele disse que há ainda duas rodovias na frente. Ele acha que semana que vem consegue chegar na 411 e resolver a questão dos buracos”, afirma.

Comunidade quer controladores de velocidade
Não são apenas os buracos que geram reclamações da comunidade que mora às margens da rodovia. A outra preocupação é o excesso de velocidade, que acontece mesmo com a via em más condições. O empresário Gilberto Sebastiany, 48 anos, que perdeu um cunhado em um acidente na ERS-411, diz que a situação é vergonhosa. “Tinha que ter acostamento e também fiscalização de velocidade. Não são só carros e motos que passam rápido, são caminhões também”, denuncia.

GILBERTO já teve prejuízos em razão de buracos da rodovia, mas maior perda foi a morte de um cunhado em acidente de trânsito

No entender de Gilberto, um quebra-molas ou um redutor de velocidade poderia ser instalado em Reta Grande, Brochier, nas proximidades da escola e do ginásio local. “Inclusive, houve reunião da Câmara de Vereadores aqui e foi comentado sobre o assunto”, destaca. O empresário defende ainda que ao menos um dos lados da rodovia deveria ter acostamento em razão do tráfego de veículos como tratores, e carretas agrícolas.

Porém, o sonho de ver o traçado de Reta Grande da ERS-411 com fiscalização eletrônica pode demorar a se concretizar. Segundo o Daer, lá só existem dois pedidos para instalação de controladores de velocidade: no quilômetro seis da rodovia, em frente à Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro João Müller.

Deixe seu comentário