A vacinação é principalmente recomendada para quem vai viajar para as áreas de risco. Créditos: reprodução internet

Quem já fez a imunização em algum momento da vida segue protegido. Saiba como e onde agendar o procedimento

A febre amarela é transmitida por mosquitos a pessoas não vacinadas em áreas de mata e se tornou um dos assuntos mais comentados no Brasil nas últimas semanas. A vacina de prevenção é recomendada para pessoas que habitam ou visitam áreas com risco da doença. Uma dose apenas garante imunidade por toda a vida. Silvana Schons, chefe da Vigilância Sanitária de Montenegro, afirma que atualmente existem quase 400 doses disponíveis, distribuídas entre a central de vacinas e as demais unidades vacinadoras no município.

As imunizações podem ser realizadas na secretaria municipal de Saúde às segundas e sextas-feiras, das 10h às 16h. Nos postos dos bairros Germano Henke e Industrial, as pessoas interessadas devem colocar seus nomes em uma relação, sendo que, a cada dez agendamentos, elas são avisadas da data e horário. No PAM, os interessados devem agendar com antecedência através do telefone 3649-8240 ou diretamente no local. As agendas são realizadas toda quarta-feira no período da manhã.

Silvana lembra, porém que esta vacina não é indicada para gestantes e mulheres que estejam amamentando crianças menores de seis meses. “A febre amarela é uma doença febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por mosquitos)”, explica. Os primeiros sintomas são febre, calafrios, dor de cabeça, dor nas costas, dores musculares generalizadas, prostração, náuseas e vômitos. “Após esse período inicial, geralmente ocorre declínio da temperatura e diminuição dos sintomas, provocando uma sensação de melhora no paciente. Em poucas horas – no máximo, um ou dois dias – reaparece a febre, a diarréia e os vômitos têm aspecto de borra de café”, esclarece.

Na sazonalidade 2008/2009, o Rio Grande do Sul registrou 21 casos da febre amarela silvestre em humanos. Desde 1999, é realizada a vigilância de mortes de macacos, com o objetivo de verificar e antecipar a ocorrência da doença, pois a mortalidade destes animais pode indicar a presença do vírus em uma determinada região. “Dessa forma, é possível fazer a intervenção oportuna para evitar casos humanos, por meio da vacinação das pessoas, e também evitar a urbanização da doença, por meio do controle dos mosquitos transmissores nas cidades”, comenta Silvana.

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) está recomendando a vacinação prioritária contra a febre amarela à população de 34 municípios, a maioria localizados no litoral, que anteriormente não faziam parte da área de imunização e controle da doença. São eles: Aceguá, Arroio do Padre, Arroio do Sal, Arroio Grande, Balneário Pinhal, Candiota, Capão da Canoa, Capão do Leão, Cerrito, Chuí, Cidreira, Dom Pedro de Alcântara, Herval, Hulha Negra, Imbé, Jaguarão, Mampituba, Morrinhos do Sul, Morro Redondo, Mostardas, Palmares do Sul, Pedras Altas, Pedro Osório, Pelotas, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, São José do Norte, Tavares, Terra de Areia, Torres, Tramandaí, Três Cachoeiras, Turuçu e Xangri-Lá.

Deixe seu comentário