Dois casos de mal-estar foram atendidos no Centro de Saúde na segunda

Saúde. Análise de água não mostrou anomalias e SMS orienta para prevenção

Uma sequência de casos envolvendo crianças e adultos com vômito e diarreia deixou em alerta a secretaria municipal de Saúde (SMS) que, através da Vigilância em Saúde, investiga o que pode estar causando tais sintomas. Conforme a titular da pasta, Gisele Adriana Schneider, amostras de água já foram encaminhadas para dois laboratórios. Os laudos apontaram que o produto atende os parâmetros para consumo e que não há contaminação por bactérias.

“Ocorreram alguns casos pontuais, mas não é um surto”, destaca a secretária. Na segunda-feira, dois pacientes com mal-estar foram atendidos no Centro de Saúde do município. Segundo ela, os casos iniciaram na semana passada, com crianças e adultos apresentando vômitos e diarreia e eventual febre. Conforme Gisele, esses sintomas seriam apresentados por apenas um ou dois dias. A maioria dos casos foi registrada na sede e nas localidades de Macega e São Pedro do Maratá.

Além da análise de amostras de água – que descartou qualquer contaminação –, também foi realizada uma verificação nas caixas d’água, onde foi observado que estava tudo dentro das normas. Buscando a redução e a prevenção de novos eventos, a SMS está encaminhando orientações aos pais de alunos através das escolas e realizando orientações nos consultórios médicos sobre as medidas que podem ser tomadas para evitar a contaminação. A suspeita é de que sejam resultado de uma intoxicação alimentar.
“A Vigilância em Saúde está investigando. Estamos tomando todas as providências ao nosso alcance no sentido de prevenir”, salienta a secretária. Ela destaca que as orientações apontam cuidados que se deve ter com a alimentação e também com a higiene.

Cuidados recomendados
– Beber muito líquido, como água fervida, principalmente, suco de maçã, soro caseiro e água de coco;
– alimentar-se com cereais cozidos, como o arroz em papa, aipim cozido, canja, batata doce ou verduras cozidas, pão torrado, bolacha água e sal, cream cracker, banana amassada, maçã sem casca, pêra e preparações com farinha de tapioca ou polvilho;
– beber maçã cozida ou chá de maçã, pois contém pectina, um probiótico que ajuda na reconstrução da flora intestinal;
– evitar o consumo de leite e derivados (iogurte, queijo, nate, requeijão, etc.), alimentos com muitas fibras, como cereais integrais, vegetais e frutas com casca;
– não abusar de alimentos gordurosos ou fritos e com molhos. Doces devem ser evitados;
– lavar as mãos antes de qualquer refeição;
– desinfetar superfícies contamináveis, como tampos de balcões e cômodas de troca de fralgas.
* Se os sintomas persistirem, procure orientação médica.
Fonte: Secretaria municipal de Saúde de Maratá

Deixe seu comentário