Vale do Caí tem 70% da produção estadual de bergamotas. No Rio Grande do Sul, a previsão é de 150 mil toneladas. Fotos: Arquivo do Jornal Ibiá

Evento que marcará a abertura oficial da safra no município está programada para 25 de maio, na localidade de Calafate

A produção de citros em Montenegro deve chegar a 48 mil toneladas, cerca de 30% do total previsto para o Vale do Caí, que chega a 162 mil toneladas. A 19ª abertura da safra ocorre no próximo dia 25 de maio, às 13h30min, em Calafate, interior do município.

A estimativa é da Emater/RS-Ascar, considerando boas condições climáticas. O extensionista rural da área técnica Valmir Michels observa que as bergamotas lideram a produção, com previsão de 36 mil toneladas no município, o que representa 75% do total de 48 mil toneladas. A maior produção é a bergamota do tipo montenegrina, que ocupa 1.750 hectares de um total de 2.500 cultivadas. A colheita já começou com a bergamota Satsuma, também conhecida como Japonesa, e segue com as espécies Caí, Pareci, Pokan, Montenegrina e por último, a Morgote. A colheita se estende durante o inverno e a primavera.

O assistente técnico regional da Emater, engenheiro agrônomo Derli Bonine, afirma que, no Rio Grande do Sul, a produção de citros deve chegar a 433 mil toneladas, das quais 162 mil são do Vale do Caí. Ele observa que a estimativa se mantém em relação a do ano passado, quando o clima favoreceu a safra. A região é a maior produtora de bergamota. A previsão é de colher 150 mil toneladas dessa fruta no Estado, das quais 107 mil são do Vale do Caí.

Bonine esclarece as estimativas sempre levam em consideração boas condições meteorológicas, mas observa que é difícil precisar números em um setor que depende muito do clima. Considerando a colheita já iniciada, no entanto, Bonine destaca a qualidade dos citros. “Bom tamanho e coloração, e estão muito suculentas”, analisa. “Isso nos dá uma boa perspectiva para a safra”, acrescenta.

Comissão organiza o evento de abertura
A abertura oficial da colheita ocorrerá na propriedade de Vera Lúcia Viegas, no dia 25 de maio. Após manifestação de lideranças do setor, há uma colheita simbólica, seguida de um coquetel preparado pelos Grupos Organizados do Lar (GOLs). A chefe de seção e abastecimento na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR), Maria Cecília Bartzen, antecipa que bergamota, laranja e limão são os ingredientes principais. “Os citros são a atração”, resume. O coquetel proporciona um pouco do potencial dos citros, que têm papel fundamental na economia da região.

O evento é da Prefeitura, coordenado pela SMDR, juntamente com a Comissão Municipal de Citricultura, que é constituída pela Emater, Centro de Treinamento de Agricultores (Cetam), Ecocitrus, Associação Montenegrina dos Fruticultores, Cooperativa dos Fruticultures da Agricultura Familiar; Associação de Citricultores de Campo do Meio; Grupos Organizados do Lar, Associação Montenegrina de Piscicultures, Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

Estimativas da safra
433 mil toneladas de citros no Rio Grande do Sul, são 274 mil toneladas de laranjas; 150 mil toneladas de bergamotas; e 9 mil toneladas de limão
162,5 mil toneladas de citros no Vale do Caí: sendo 48 mil toneladas de laranjas, 107 mil toneladas de bergamota; e 7,5 mil toneladas de limão
48 mil toneladas de citros em Montenegro, sendo 36 mil toneladas de bergamota, e 12 mil toneladas de laranja e limão

Fonte: Emater/RS-Ascar

Deixe seu comentário