Cícero marcou o gol da vitória aos 38 minutos do segundo tempo Foto: Grêmio FBPA

A empolgação da torcida gremista, vista no pré-jogo, logo que o arbitro marcou o início da partida, deu espaço a tensão. Torcedores ansiavam pelo gol tricolor que só chegou no segundo tempo. Não foi um jogo fácil. Enquanto a Arena inflamava, aqueles que não conseguiram ir até o estádio, lotaram os bares da cidade para a acompanhar o primeiro jogo da final da Copa Libertadores da América.

Foto: Grêmio FC

Enquanto de um lado a equipe argentina do Lanús não dava espaço para o gaúcho, o dono da casa investia no ataque. Somente na segunda metade do jogo é que a confiança do Grêmio aumentou. O grupo foi pra cima e chegou a estar com sete atletas na área do Lanús.

Do outro lado, quando o Lanús contra atacava, Marcelo Grohe fazia defesas espetaculares. O goleiro fez dois milagres, em lances de Martínez e Braghieri.

Cícero marcou o gol da vitória aos 38 minutos do segundo tempo
Foto: Grêmio FBPA

No segundo tempo, o Grêmio voltou melhor e passou a dominar a partida na área adversária, enquanto Lanús investiu na defesa. Logo no início do tempo regulamentar, Bruno Cortez chutou de fora da área e obrigou o goleiro adversário a fazer sua primeira defesa.

Jailson, Fernandinho e Barrios foram substituídos para as entradas de Cícero, Everton e Jael. Mudanças que surtiram efeito poucos minutos depois quando Cícero abriu o placar para o Grêmio. Depois de levantamento de Edílson, Jael tocou de cabeça e Cícero apareceu livre na área. Ele tocou pro gol, a bola passou por baixo de Andrada e balançou as redes.

No último lance do jogo, Jael foi derrubado na área, mas o árbitro Júlio Bascuñan preferiu encerrar a partida, o que deixou os tricolores indignados. Caso que foi questionado pelo técnico Renato Portaluppi após o jogo. “Por que não viram o vídeo depois do lance?”, indagava.

Jael entra no lugar de Barrios no segundo tempo
foto: Grêmio FBPA

Com a vitória, o Grêmio precisa de um empate para conquistar a América na próxima quarta-feira, dia 29. Se perder por um gol de diferença, a disputa segue para os pênaltis, já que na final não há saldo qualificado. O segundo jogo da final será no estádio La Fortaleza, em Lanús.

“O Grêmio sai com vantagem. Lógico que eles tem a vantagem de jogar em casa, com a sua torcida, mas vai ser o Grêmio que vai estra lá jogando”, afirmou o técnico em coletiva de imprensa depois da partida. “Nós vamos para jogar futebol”, reforça.

Para a próxima semana, Kannemann e Braghieri estarão fora da decisão, na Argentina. Os dois, zagueiros, do Grêmio e do Lanús receberam o terceiro cartão amarelo e estão suspensos. Pelo lado tricolor, o substituto deve ser Bressan.

Torcedores se emocionaram e vibraram com o jogo

Jéssica e o amigo Bruno assistiram juntos ao jogo.

Os olhos de Jéssica Kussler dos Reis, de 19 anos, não saíam da tela enquanto a bola rolava entre Grêmio e Lanús, pelo primeiro jogo da final da Libertadores 2017. O coração palpitava até os 38 minutos do segundo tempo, quando Cícero fez o gol da vitória tricolor.

Ela, que foi assistir ao jogo com seu melhor amigo Bruno, diz que não gostou muito da atuação do time, mas, mesmo assim, fica mais aliviada com a pequena vantagem para a próxima partida, na Argentina. “Podia ter sido muito melhor. A expectativa agora é que o Grêmio ganhe o jogo da semana que vem e sejamos campeões”, torce.
Se durante os primeiros 83 minutos de jogo o clima era de tensão nos bares de Montenegro, com o único gol da partida, tudo mudou. Os torcedores fizeram festa, cantaram e vibraram nos últimos minutos.

“Onde o Grêmio estiver”
O técnico em edificações Anderson Biriato, 22, assistiu o jogo em uma das lancherias do centro de Montenegro. Acompanhado do pai Mateus Biriato, 70 e do amigo Edgard Ito, 28, ele conta que o gol deu certa tranqüilidade, já que o Lanús não era um adversário fácil. “O Grêmio fez um jogo razoavelmente bom e o time vai confiante para a Argentina”, avalia. “Não é à toa que chegaram na final da Libertadores”.

Anderson, Mateus e Edgard assistiram juntos ao jogo

Essa é a primeira final de Libertadores que Anderson assiste e a expectativa, para a próxima semana, é assistir a grande final no estádio do Lanús, na Argentina. “A gente quer fazer um bate-e-volta. Vamos ver se vai dar”, diz, na expectativa de enfrentar as 12h de viagem até a cidade de Lanús.

O pai de Anderson, Mateus, foi mais taxativo sobre a partida dessa quarta-feira. “Não gostei”. Ele acha que a equipe poderia ter feito muito mais. Seu Mateus, que acompanha o Grêmio desde sempre, conta que já assistiu jogos da equipe em todos os estados brasileiros e se orgulha de ter ido à Tóquio de bombacha.

O torcedor ainda alfineta os colorados. “Só para alertar os colorados, por garantia, vou levar uma camisa do Mazembe para a Argentina”, brinca. Sobre o a expectativa para a semana que vem, ele diz que espera vencer, mas tem o pé atrás. “Eu acredito mais no mundial, em Dubai, do que do título na Argentina. Se o Grêmio passar pela Argentina, nós vamos ser campões do mundo”, revela. E garante, se o tricolor for disputar o mundial, ele estará lá, pessoalmente, para acompanhar o jogo.

Texto e imagens: Andressa Kaliberda e Daniele Angnes

Deixe seu comentário