Reprodução internet

Uma campanha do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) propõe uma mudanças nos rótulos. O órgão enviou uma proposta à Anvisa de uma rotulagem que fosse mais compreensível para o consumidor, permitindo que este faça uma escolha mais saudável e consciente na hora da compra.

A proposta foi elaborada em parceria com pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e sugere que sejam incluídos selos de advertência na embalagem de produtos processados indicando quando houver excesso de açúcar, sódio, gorduras totais e saturadas. Os selos também deverão avisar quando o alimento contiver adoçantes ou gorduras trans em qualquer quantidade.

A regra não deverá valer para produtos minimamente processados ou ingredientes culinários. Além disso, os rótulos de alimentos processados e ultraprocessados não poderão ter nada que sugira que eles são saudáveis e nenhum tipo de apelo infantil. Como ilustrações de personagens de desenhos, por exemplo.

As informações sobre estas substâncias prejudiciais deverão constar na parte frontal das embalagens, em um triângulo preto sobre um fundo branco. O símbolo foi escolhido após pesquisas comparando a eficácia da rotulagem de outros países que adotaram sinalizações similares e com base na indicação de alimentos transgênicos já existente no Brasil.

De acordo com a jornalista Francine Lima, do site Do Campo À Mesa, que participou do debate sobre as alterações, as embalagens também deverão ganhar uma nova tabela nutricional, impressa em preto, com fundo branco e marcações em amarelo para destacar pontos importantes. Como padrão, as empresas não terão mais liberdade para inventar porções: as medidas deverão se basear em uma porção de 100g ou no conteúdo total do pacote.

 

Deixe seu comentário