Caminhões-tanque são um dos veículos escoltados pelas forças de segurança. Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

As forças de seguranças pública da região seguem fazendo a escolta de produtos essenciais durante o feriado de Corpus Christi e enquanto for necessário. Essa é a garantia do comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) do Vale do Caí, tenente-coronel Alexandre Brite da Silva. A ação é necessária em razão da greve dos caminhoneiros e conta com aval do Governo Federal.

A Polícia Civil também trabalha neste sentido e realiza na tarde desta quarta-feira a escolta de cargas de gás e combustível. O delegado Regional Marcelo Farias Pereira informa, no entanto, que a Polícia Civil não realizará escoltas durante a quinta-feira. Hoje, segundo ele, houve escolta de combustível para Salvador do Sul e Barão.

Conforme o tenente-coronel Brite, nesta quarta-feira estão sendo escoltados pela Brigada Militar (BM) veículos com combustível para Montenegro – que devem chegar ao final da tarde – bem como é realizada a segurança de veículos com água, carne e lenha – esta destinada para hospitais – que estão saindo do Vale do Caí para outras regiões.

“Estamos priorizando a escolta de produtos essenciais à população e um dos principais é a gasolina”, destaca. O comandante salienta que na terça-feira a Brigada Militar garantiu a entrega de gás para hospitais em Montenegro e São Sebastião do Caí e casas prisionais da região bem como combustível para cidades como São Sebastião do Caí, Feliz e Triunfo. Em Montenegro, a escolta de um caminhão-tanque na terça-feira foi providenciada pela Polícia Civil.

Brite salienta que a orientação é de que as escoltas sejam mantidas até que se alcance um nível de estabilidade na disponibilidade dos produtos essenciais, o que ocorre gradativamente. Entre os itens que contaram com o apoio das forças de segurança para serem transportados durante a greve dos caminhoneiros está a ração para animais. A falta do insumo provoca prejuízo para produtores integrados. Em alguns casos, galinhas estão sendo doadas para evitar que elas morram de fomes.

Deixe seu comentário