Questões sociais, econômicas e pessoais agravam a desistência escolas. Foto: Internet

Estado vê crescer proporção de alunos com idade superior ao da turma

A taxa de distorção mede a proporção de alunos com idade superior à adequada em cada série. No Rio Grande do Sul, em 2007, ela era de 34%, enquanto a média nacional chegava a 45%. Atualmente, o Estado apresenta taxa de 30,6%, maior que a média do Brasil, de 28%. Pensando nisso, o Centro de Apoio Operacional Infância, Juventude, Educação, Família e Sucessões promove sexta-feira (8) o seminário Enfrentamento da Distorção de Idade.

Instituições atuantes na área e interessados debaterão as alternativas para correção de fluxo escolar. O evento tem apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional e participação da Secretaria da Educação (Seduc). “A Seduc tem se empenhado para combater esse problema, muitas vezes causado por situações da vida moderna”, aponta o secretário da Educação, Ronald Krummenauer.

Entre as situações responsáveis estão a evasão escolar, gravidez, envolvimento com drogas e outras. “Cabe a nós buscarmos soluções”, assumiu. Em todo o país, a maior taxa de distorção ocorre no Ensino Médio, onde a evasão escolar é maior. Todavia, aqui no RS os números nesta modalidade têm apresentado redução nos últimos anos. Em 2014, era de 9% e, em 2016, última medição do Ministério da Educação e Cultura (MEC), ficou em 7,5%; queda de 16,6%.

“Vários projetos estão atraindo os estudantes às escolas, o que só traz benefícios ao sistema educacional”, informou a diretora do Departamento Pedagógico da Seduc, Sônia Rosa. Entre eles estão as Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave), que combatem bullying e outros problemas. “Escolas em tempo integral, Escola Aberta e maior formação de professores são outras medidas com significativos resultados”, acrescentou.

Projetos para enfrentar a distorção
A assessora Lara Milani Viscardi apresentará as ações do Governo para combater a distorção. Entre elas, os programas Acelera Brasil e Se Liga, em parceria com o Instituto Ayrton Senna, e o Trajetórias Criativas, em parceria com a Ufrgs.

São projetos de Correção de Fluxo que visam, progressivamente, reduzir as taxas de reprovação e de evasão, garantindo alfabetização e aprendizagem consistente, sobretudo do 3º ao 9º do Fundamental. O trabalho é feito junto às Coordenadorias, que têm assessor referência.

Serviço
O quê: Seminário Enfrentamento da Distorção Idade
Quando: Sexta-feira (8), das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h
Onde: Ministério Público (Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, 80), Porto Alegre

*Saiba mais em www.educacao.rs.gov.br

Deixe seu comentário