Foto: TRF4 divulgação

O desembargador Leandro Paulsen, presidente da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e revisor do processo, acompanhou o voto do relato pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele ainda concordou com o aumento da pena para 12 anos e 1 mês, proposto pelo desembargador João Pedro Gebran Neto.

O TRF4, em Porto Alegre, está julgando o recurso de Lula, que havia sido condenado em primeiro instância por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP).

Leandro Paulsen comparou o caso de Lula com o ex-presidente norte-americano Nixon no caso Watergate, que foi investigado por leis promulgadas por ele, Lula agora também é julgado com base em leis que surgiram nos anos de governo de seu partido.

Ele ainda afirma que há elementos de sobra para mostrar que Lula agiu de modo consciente para manter o esquema de corrupção, e que teria se beneficiado do mesmo. “A imputação mais importante da denúncia não diz respeito propriamente ao recebimento do triplex […], mas está na primeira parte da denúncia, quando se coloca o ex-presidente como garantidor do funcionamento dessa organização criminosa mediante as indicações e manutenções nos cargos e à exploração do capital político”.

O revisor citou a proximidade entre o petista e Léo Pinheiro, destacando que mesmo após o fim do mandato o ex-presidente tinha conhecimento da continuidade do esquema de corrupção. Sobre a execução da pena, Paulsen defendeu que ela só deve ser cumprida após todos os recursos serem exauridos na segunda instância.

Deixe seu comentário