O evento era avaliativo e fechado para o público geral, mas se engana quem pensa que foram poucos os apreciadores. Dentre as várias salas da escola São João Batista, haviam muitos trabalhos científicos expostos. A feira de exposição trata-se de uma forma de avaliar, usada pelos professores, e os estudantes levam a sério a proposta. Estudos sobre as bolhas de sabão, foguetes, vulcões e até a mesmo sobre as cores do arco-íris foram apresentados.

O grupo de Gabriela Oliveira, de 16, Luana Camila, de 17, e Rafaela Gauer, de 17, escolheu um assunto literalmente quente para apresentar. As estudantes trabalharam no tubo de Ruben, conhecido experimento da física usado para, de certa forma, enxergar o som. Consiste de um tubo com vários furos em linha na parte superior e um alto falante em uma de suas extremidades.

Gabriela, Luana e Rafaela decidiram trabalhar com o experimento tubo de Ruben

“O tubo é preenchido com gás de cozinha e aceso, o alto falante é ligado criando ondas de pressão dentro do tubo. As regiões com maior pressão vão apresentar uma chama maior e as de menor pressão uma chama menor”, explica Gabriela. Se a freqüência do alto falante coincidir com a freqüência de vibração natural do tubo é possivel visualizar um padrão estático (ondas estacionárias), senão pode-se visualizar um padrão dinâmico, como mostrado no experimento. “Se usarmos musica, com variação constante na freqüência usada, as chamas começarão a dançar conforme a musica”, completa.

Lucca, Gabriel e Heitor desenvolveram um eletroímã

Já Lucca Ely, de 17, Gabriel Leidens, de 18, e Heitor Machado, de 16, preferiram investir no eletroímã. Os estudantes garantem que trata-se de um dispositivo que utiliza corrente elétrica para gerar um campo magnético, semelhantes àqueles encontrados nos ímãs naturais. “Quando o fio é submetido a uma tensão, o mesmo é percorrido por uma corrente elétrica, o que gera um campo magnético na área”, explica Heitor.

Mas nem só de exatas foram os trabalhos. Em meio a Feira Cientifica aconteceu também um Sarau Literário, com apresentações no saguão do educandário.Contrariando o gosto de muitos estudantes, o grupo de Mariana Sarmento, de 16, Érica Motta, de 16, Bruna Collovini, de 15, e Daniel Kleinchimitt, de 16, abordaram a política brasileira como tema principal.

Mariana, Érica, Bruna e Daniel desenvolveram um teatro analisando o cenário político brasileiro

O grupo criou uma peça de teatro em que julgava fazer justiça entre o povo e os políticos. “é muita corrupção. Esse é um protesto pacífico, mas é um modo também de chamar a atenção, para que as pessoas abram os olhos e procurem dar atenção a tudo que está acontecendo. Essa corrupção já vem de muito tempo”, comenta Mariana.

Deixe seu comentário