Manutenção. Autarquia afirma não ter previsão para a chegada do ligante asfáltico necessário para obra de manutenção

Principal ligação entre Montenegro e Brochier, a ERS-411 segue até Maratá, sendo também um dos principais acessos deste município. É por essa rodovia que também circulam diariamente centenas de caminhões escoando a produção ou levando matéria-prima para os municípios por ela cortada. No entanto, a via segue sendo negligenciada. Buracos, desníveis e “borrachudos” são constantes e surgem cada vez mais. Para piorar, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) não sabe precisar quando terão início os trabalhos de recuperação da rodovia.

Um dos trechos mais críticos da rodovia é junto ao quilômetro seis. No local, veículos invadem a contramão para desviar das deformações da pista

Segundo a estatal, a empresa que executará os serviços na ERS-411 já está se mobilizando. No entanto, o Daer está aguardando a normalização do fornecimento de ligante asfáltico para dar continuidade aos serviços em outras rodovias antes de seguir para o Vale do Caí. “Infelizmente, ainda não temos previsão (para normalização do fornecimento do insumo)”, informa a autarquia via assessoria de comunicação.

Na 411, os serviços previstos serão executados através do Contrato de Conserva Rotineira da 11ª Superintendência Regional (SR) do Daer, que tem sede em Lajeado. O contrato está em fase de renovação. Conforme a estatal, na rodovia que liga Montenegro a Brochier serão realizados serviços de fresagem nos pontos críticos e pavimentação localizada para depois se recuperar a sinalização.

O Daer também irá realizar a ampliação da área de recuo para os ônibus nas paradas, bem como a instalação de uma elevada com pintura de faixa de pedestres em frente à Escola Municipal de Ensino Fundamental Henrique Pedro Zimmermann, em Passo da Serra. A diretora da escola, Andrea Paula Rosa Tochetto, entende que a instalação da elevada inibirá a passagem de veículos em alta velocidade. Ela destaca que o portão principal da escola, que dá acesso à rodovia, fica fechado e que os estudantes não têm contato com a via. “Os alunos utilizam o portão lateral para entrada e saída, sendo assistidos pelos transportes escolares em todos os casos”, garante.

Daer pretende colocar faixa de pedestres elevada junto à escola…

Em abril, um representante do Daer havia se reunido com os vereadores de Montenegro Josi Paz (PSB) e Joel Kerber (PP) para tratar da recuperação da via. Na ocasião, foi informado que a empresa contratada pela autarquia trabalhava na recuperação da ERS-332, entre Encantado e Soledade, e da ERS-423, entre a BR-386 e Progresso, e que passaria a dar atenção aos problemas na ERS-411 quando finalizasse uma dessas obras.

Situação preocupa lideranças e comunidade

…e promete também melhorias nos recuos das paradas de ônibus

A falta de manutenção da ERS-411 está recorrentemente na pauta do prefeito de Brochier Clauro Josir de Carvalho. Segundo ele, já foram realizadas várias reuniões e entregues diversos ofícios pedindo o recapeamento ou uma operação tapa-buraco na via. O chefe do Executivo brochiense lembra que em março esteve na sede da 11ª SR com a corte da Expofesta e solicitou melhorias na via. “Nos responderam que estavam por vir e que já tinha sido a Giovanella a ganhadora da licitação. Assim que terminassem os serviços que estavam fazendo em Taquari provavelmente fariam a nossa rodovia, mas até agora nada aconteceu”, conta.

Clauro observa ainda que a má qualidade da rodovia pode afetar até mesmo em possíveis investimentos. Como exemplo, ele cita que possíveis contratempos no transporte de insumos em razão da falta de manutenção da via podem afetar a parte logística de uma empresa e fazer com que ela escolha outra cidade para se instalar. “Há ainda o caso das pessoas que vêm nos visitar e se deparam com uma rodovia ruim. Ontem (segunda-feira) passei por ela e a coisa não está fácil”, ressalta.

Borracheiro diz que em semanas com chuva chega a atender até 15 clientes com pneus furados ou rasgados em buracos da 411

Com 82 anos, Ito Grave passou 60 deles em sua borracharia e mecânica às margens da 411, em Costa da Serra. Ele começou a trabalhar lá antes mesmo de a estrada que liga Brochier e Montenegro ser asfaltada. Para Ito, o problema da rodovia surgiu já na sua construção. “A camada de asfalto é muito fina e passa muito caminhão”, afirma ao apontar o que ele crê ser o principal motivo da má qualidade da pista. Porém, ele salienta que a comunidade segue com esperanças de ver a ERS-411 recuperada.

“Por enquanto, só fazem tapa-buracos”, observa Ito. O borracheiro conta que em períodos chuvosos, quando os buracos tendem a se multiplicar, ele chega a atender de 10 a 15 clientes com pneus furados ou rasgados em “panelões” por semana. “Eu mesmo já furei meu pneu aqui. Esqueci do buraco, caí dentro e cortou o pneu”, lembra.

Deixe seu comentário