DUPLA Zé Neto e Cristiano fizeram o show que lotou o Parque da Oktoberfest na noite de sábado

Tradição. A festa alemã reuniu pessoas de todas as idades e lugares no município de Maratá durante os cinco dias

No meio da tarde do último sábado, o sol começou a espiar entre as nuvens e espantou a chuva que castigava o Vale do Caí desde o meio da semana. O brilho do astro-rei foi a senha para milhares de pessoas saírem de suas casas e se dirigirem a Maratá, para curtir as atrações da Oktoberfest 2017. Os pontos de estacionamento próximos ao parque de eventos logo lotaram, com carros de diversas cidades do Rio Grande do Sul. E dentro do Parque da Oktoberfest, a movimentação era intensa.

Aos poucos, o público aumentou e se distribuiu, acompanhando os shows musicais dos palcos alternativos, visitando a feira de produtos e serviços, se deliciando na praça de alimentação, divertindo-se no parque de diversões, correndo atrás da Bierwagen para pegar um chopp de graça, ou simplesmente esperando a principal atração da noite: o show nacional da dupla Zé Neto e Cristiano. Um público formado por pessoas de todas as idades e etnias, mas com o mesmo propósito: saudar a cultura alemã.

O casal de noivos Lucas Alflen, 30 anos, de Montenegro e Vanessa Dahmer, 26, de São Leopoldo, costumam participar das festas da região e neste fim de semana estavam em Maratá. “Há seis anos fazemos isto, vamos sempre juntos nas festas”, conta Lucas. Vanessa reforça que a chuva que caiu “não assusta” o casal, que gosta de vestir os trajes típicos alemães. O eletricista Jovian Boneberg, 32 anos, levou a esposa Sabrina Santos, de 28, pela segunda vez na Oktoberfest. Eles vieram de Porto Alegre acompanhar festa. “A festa tá ótima”, exaltou Sabrina.

O aposentado Renato Kirsten, 63 anos, de Maratá, conta que só não participou de apenas uma edição da Oktoberfest. “Foi quando minha esposa teve uma gripe muito forte”. Teresa Kirsten, 55 anos, confirma. “Mas mesmo assim, naquele ano, ele deu um jeito de vir na abertura”, entrega. O contador Fernando Pereira, 38 anos, mora em Brochier, mas tem muitos clientes em Maratá. No sábado ele pegou o filho Robson Reis, 17 anos, e foram na Oktoberfest, acompanhados do amigo Roger Silva, morador de Maratá. “Show de bola a festa”, exclamou Fernando.

Pelo parque era muito fácil ver pessoas com os trajes típicos alemães. Desde crianças de colo até idosos desfilaram com roupas que lembraram os primeiros colonizadores da região. Uma delas era Amanda Hummes, 11 anos. Acompanhada do pai, Elizeu Hummes, 46 anos, ela andou pelo parque vestida à caráter. “Eu vi minhas colegas se vestirem assim e me deu vontade”, conta a moça.

Deixe seu comentário