É hora de pesquisar, pois em Montenegro já há reduções. Foto: Arquivo Portal Ibiá

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira, dia 6, o segundo aumento no preço da gasolina neste mês que recém iniciou. A partir deste sábado, dia 7, o combustível terá alta de 1,07% nas refinarias da estatal e passará a custar R$ 2,0249 por litro. No mês, o combustível acumula alta de 3,92%.

Esses são os preços cobrados nas refinarias, o que não significa necessariamente que as mudanças chegarão ao consumidor final na bomba. Os postos são livres para aplicar ou não o reajuste, e na porcentagem que desejarem.

Apesar dessas notícias preocupantes, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), nos postos o preço do litro, em valores médios, vêm caindo nos estados brasileiro. O litro da gasolina nas refinarias da Petrobras era de R$ 1,94 em 30 de junho e subiu, gradativamente, para esses R$ 2,02 aplicados hoje.

Porém, de acordo com a ANP, no comércio era de R$ 4,57 na semana de 10 a 16 de junho, passou para R$ 4,53 entre os dias 17 e 23 daquele mês, caiu para R$ 4,498 entre 24 e 30; para agora alcançar R$ 4,49 de 1º a 7 de julho.

Da mesma forma, o diesel mantém-se em R$ 3,03 nas refinarias da Petrobras desde o dia 1º de junho, mas vem caindo nos postos: de R$ 3,43 na semana de 10 a 16 de junho caiu para R$ 3,38 entre 1º e 7 de julho, diz o levantamento da ANP.

O etanol, que não é refinado pela Petrobras, mas por dezenas de refinarias em várias regiões do país, também vem passando por uma curva descendente nos postos. De acordo com a ANP, o preço do litro caiu de R$ 2,94, na semana entre 10 e 16 de junho, para R$ 2,83 entre 1º e 7 de julho.

Além da lei de livre mercado, da oferta e da procura, incidem sobre os preços dos combustíveis fatores como impostos estaduais e o câmbio internacional, principalmente o valor do dólar frente ao real.

*Informações da Agência Brasil

Deixe seu comentário