O autor das ameaças será transferido para outra escola de Montenegro

Violência na escola. É a segunda vez que o garoto promete matar o educador

Um estudante de 13 anos foi apreendido pela Brigada Militar após ameaçar, com um canivete, o diretor e uma professora da Escola Estadual Ivo Bühler (CIEP), no bairro Senai, em Montenegro. O garoto foi encaminhado para a DPPA e posteriormente entregue aos pais. A escola solicitou ao Conselho Tutelar a transferência do estudante, pois esta não é a primeira ameaça que ele faz ao diretor.

Conforme o diretor Samuel Borges, de 42 anos, o menor identificado por J. W. T. foi suspenso da escola por descumprir regras de comportamento. Por volta das 10h30min dessa segunda-feira, 16, o garoto retornou ao colégio e perguntou a uma professora, que não quer ser identificada por medo de represália, onde estaria o diretor. A docente informou que Samuel não se encontrava na instituição. Insatisfeito com a resposta, o estudante disse que iria esperar pelo diretor e que o mataria.

Samuel afirma que o aluno guarda ressentimentos em relação a ele. A primeira discussão que tiveram foi causada porque o garoto se recusou a sair mais cedo da escola. “A mãe dele pediu pra que fosse liberado, mas ele não queria sair da escola”, conta o diretor. Na ocasião, o aluno teria dito que mandaria seus tios atirarem na cara de Samuel. O caso foi registrado em ata e, na presença da mãe, o menino se desculpou por ter cometido a ameaça verbal.

Contudo, agora o diretor se sente inseguro em continuar convivendo com o jovem. “Como vou andar pelos corredores da escola sabendo que alguém deseja me matar?”, questiona o educador.

Demais professores também relatam ter notado mudanças no comportamento do menino, que, desde o ano passado, tem se tornado cada vez mais agressivo. “O que ele quer não é estudar. Ele quer ficar no pátio brincando e tumultuando o funcionamento da escola”, salienta o professor.

O caso vai ser avaliado pelo Ministério Público. A Polícia Civil irá encaminhar um ofício ao Conselho Tutelar para que providencie vaga para o garoto em outra instituição de ensino.

Deixe seu comentário