Foto: Emater/Ascar

Com o objetivo de divulgar o manejo e os benefícios de um sistema que integra o pomar de citros com o cultivo do cinamomo, a Emater/RS-Ascar realizou, na última quinta-feira (17/05), uma tarde de campo sobre agrofloresta em Brochier. A atividade ocorreu na propriedade dos irmãos Nestor e Henrique Schumacher e contou com a participação de agricultores de São Sebastião do Caí, Harmonia, Maratá e Montenegro. Na ocasião foram quatro estações de trabalho em que foram trabalhados temas como sistema agroflorestal e manejo do cinamomo, conservação do solo e controle da mosca da fruta.

Responsáveis pela estação que falava do consórcio entre as duas plantas, o assistente técnico estadual em Sistemas Agroflorestais da Emater/RS-Ascar, Antônio Borba, e o supervisor da Instituição, Fábio da Encanrnação destacaram os benefícios do sistema, que aumenta a matéria orgânica disponível no solo e funciona como inseticida e repelente natural de insetos. “Fora o fato de que as árvores de cinamomo, além de funcionarem como quebra-ventos naturais, ainda fornecem sombra no verão, estando desfolhadas no inverno, o que não compromete a entrada do sol no pomar para a formação das frutas”, observou Encarnação.

Outra vantagem do investimento no cinamomo para consórcio com citros, envolve a possibilidade de comercializar, no futuro, a madeira da árvore para a fabricação de móveis e para a produção de carvão e lenha. “Se torna um investimento que beneficia o pomar, faz a ciclagem de nutrientes, protege contra pragas, inclusive a mosca da fruta, e ainda pode ser fonte de renda para os agricultores”, enfatizou Borba. Encarnação lembrou o fato de que a Emater/RS-Ascar possui um programa que distribui sementes para agricultores interessados em investir no sistema.

Entre aqueles que já investiram no modelo está o agricultor Fridolin Berger Molter, da localidade de Campestre Conceição, em São Sebastião do Caí. Molter conheceu o sistema há um ano, quando participou de uma reunião promovida pela Emater/RS-Ascar sobre o tema. Com as mudas já prontas, deve plantar 100 árvores de cinamomo em uma área de aproximadamente 2.500m² de laranjas da variedade Satsuma. “Essa será uma área de teste e, dependendo do resultado alcançado, a intenção será ampliar a área do consórcio”, destaca o produtor, que possui um total de 10 hectares de citros.

Na propriedade dos anfitriões, o modelo foi adotado há aproximadamente cinco anos e, mesmo com as árvores de cinamomo ainda em formação, Nestor Schumacher já percebe os benefícios do sistema. “No caso da mosca da fruta, por exemplo, pode-se dizer que a ação do inseto é 80% menor”, avalia. Com mais de três hectares de cinamomos plantados – a área total de laranjas e bergamotas é de oito hectares – Schumacher não descarta ampliar o sistema. “É um modelo fácil de ser replicado, protege o pomar contra doenças, aduba as plantas e ainda fornece sombra durante o verão”, comenta.

O evento contou ainda com a presença de lideranças e autoridades, entre elas o vice-prefeito e secretário da Agricultura de Brochier, Fernando Braun, e os assistentes técnicos regionais da Emater/RS-Ascar, Derli Bonine e Marcos Schäfer. Bonine, além de falar sobre o controle da mosca da fruta, mencionou outras possibilidades de consórcio que beneficiam o pomar. “O objetivo de um dia como este é justamente o de promover a troca de experiências”, ressalta. A atividade do evento contou com o apoio do grupo G-Fruti que discute ações em fruticultura no Vale do Caí e atende as demandas de agricultores sobre temas diversos.

Deixe seu comentário