A Polícia Civil de Montenegro indiciou Lucas Fuler Coronas, de 23 anos, pelo cárcere privado e ameaça da companheira dele. O crime ocorreu no dia 7 de abril, em Montenegro. Por cerca de três horas, jovem manteve Fabiana Tavares Rodrigues, grávida de oito meses de uma filha do casal, refém na frente da casa onde moram na rua Carlos Lorival Lampert, bairro São Paulo. Visivelmente alterado em razão do uso de drogas, o tempo todo, o rapaz manteve uma faca no pescoço da vítima, dominada por uma “gravata”.

O inquérito, concluído dentro do prazo de 10 dias em razão de o autor ter prisão preventiva decretada, já foi remetido à Justiça. A partir de agora, será dado vista ao Ministério Público. O órgão pode tomar três atitudes: oferecer a denúncia, solicitar novas diligências ou pedir o arquivamento. Essa última possibilidade está, praticamente, descartada por Lucas ter sido preso em flagrante.

A ocorrência teve início por volta das 15h e terminou depois das 18h, com a detenção do autor. Lucas está preso na Penitenciária Modulada de Montenegro. Os integrantes do Pelotão de Operações Especiais (POE) arquitetaram a operação, liderada pelo capitão Jederson Dill, comandante da 1ª Companhia de Policiamento da Brigada Militar de Montenegro.

“Não tinha como não indiciar por sequestro cárcere privado, mais ameaça. Ele não chegou a machucá-la, mas manteve em cárcere”, comenta responsável pela Deam, Cleusa Tânia de Oliveira Spinato. Em depoimento, Fabiana creditou a fato à dependência química do jovem. Também defendeu a necessidade de ele passar por um tratamento para superar o vício. “A postura defensiva (do autor) é uma das condutas muito comuns nos casos que envolvem a violência doméstica. Ninguém começa o relacionamento com uma pessoa se não tem um consentimento. É um comportamento recorrente quando a pessoa não está preparada para romper esse ciclo de violência”, pontua Cleusa.

Deixe seu comentário