Shaqiri é o jogador mais perigoso da Seleção Suíça. Foto: divulgação internet

Suíça, Costa Risca e Sérvia serão os primeiros adversários do Brasil na Copa do Mundo de 2018. Nenhum desses três países tem tradição em mundiais, porém, isso não quer dizer que seja um grupo fácil para a Seleção Brasileira. Favorita para ficar na liderança do grupo E, a equipe do técnico Tite precisa provar seu favoritismo dentro das quatro linhas.

O desafio mais complicado para o Brasil deve ser logo na estreia. Dia 17 de junho, a nossa Seleção enfrenta a Suíça, às 15h. A principal característica do time suíço é a solidez defensiva. Mesmo que tenha um setor ofensivo mais qualificado e experiente nesta Copa, a equipe aposta na força da defesa para avançar às oitavas de final. O destaque é Shaqiri, meia-atacante que atua pelo Stoke City-ING.

O segundo compromisso da Seleção Brasileira será dia 22 de junho, às 9h, contra a Costa Rica. Depois de ser a grande surpresa da última Copa, quando foi até as quartas de final, a Seleção Costarriquenha manteve a base para fazer bonito na Rússia. O nome mais conhecido da equipe é o goleiro Keylor Navas, que joga no Real Madrid-ESP.

Para fechar a fase de grupos, o Brasil encara a Sérvia, dia 27 de junho, às 15h. Sucessora da Sérvia e Montenegro, a Seleção participou da Copa de 2010 e surpreendeu a todos quando venceu a Alemanha na fase de grupos. Agora, quer repetir o feito e superar o Brasil, grande favorito do grupo. A referência técnica dos sérvios é o volante Matić, atleta do Manchester United-ING.

Primeiro título brasileiro veio com show de Pelé
A primeira Copa do Mundo conquistada pelo Brasil foi em 1958, na Suécia. Nas fases decisivas do torneio, brilhou a estrela do jovem Pelé, de apenas 17 anos na época. Nas semifinais, a Seleção Brasileira eliminou a França ao vencer por 5 a 2, com três gols do craque. Na final, o Brasil enfrentou os donos da casa e saiu atrás do placar, mas virou com show de Pelé, que marcou dois gols, e venceu por 5 a 2. Além de Pelé, o atleta Vavá também fez dois gols na decisão. O outro tento foi marcado por Zagallo.

Brasil conquista o bi em 1962
Sensação da Copa do Mundo de 1958, Pelé desfalcou a Seleção Brasileira nas fases decisivas do Mundial de 1962, por conta de uma lesão. O torneio, realizado no Chile, foi conquistado mais uma vez pelo Brasil. Na última rodada da primeira fase, a equipe verde e amarela precisava de um empate contra a Espanha, e quase se complicou. Saiu atrás no placar, mas virou com dois gols de Amarildo, o substituto de Pelé.

Na decisão, o Brasil enfrentou a Tchecoslováquia, saiu em desvantagem mais uma vez e conseguiu a virada, com gols de Amarildo, Zito e Vavá. A vitória por 3 a 1 deu o bicampeonato à Seleção Brasileira.

Curiosidades:
A Copa do Mundo de 1962, realizada no Chile, foi uma das mais “violentas” da história. Nos cinco primeiros dias da competição, cerca de 50 jogadores ficaram contundidos em função de jogadas ríspidas.

Também no Mundial de 62, o duelo entre Brasil e Inglaterra proporcionou uma das cenas mais inusitadas e engraçadas das Copas. Um cachorro invadiu o campo e driblou o habilidoso Garrincha, um dos maiores jogadores da história do nosso País. Quem conseguiu pegar o cão foi o atleta inglês Greaves.

Deixe seu comentário