Foto: Lucas Figueiredo / divulgação CBF

Desde que assumiu o comando da Seleção Brasileira, em 2016, o técnico Tite fez vários testes na equipe titular e convocou dezenas de jogadores. No entanto, o comandante brasileiro formou, desde o início de sua trajetória na Seleção, uma base titular e deu uma nova cara para o time verde e amarelo. A menos de dois meses do início da Copa do Mundo, restam poucas dúvidas na equipe.

No gol, Alisson, ex-Inter, é o titular de Tite. Nas laterais, Daniel Alves e Marcelo são inquestionáveis. Na zaga, Miranda é o único que tem lugar garantido no time. A outra vaga é disputada por Thiago Silva e Marquinhos. No meio-campo, Casemiro, Paulinho e Philippe Coutinho têm vagas asseguradas. No ataque, apenas Neymar é titular absoluto. Pelos lados, Willian e Douglas Costa brigam por uma vaga. Na frente, Gabriel Jesus e Roberto Firmino disputam posição.

Quem perdeu espaço no time foi o meia Renato Augusto, titular no início da “Era Tite”. O jogador, porém, está garantido pelo treinador na Copa. Além dele, o goleiro Éderson e o volante Fernandinho, que atuam no Manchester City-ING, também estarão na Rússia. A disputa pelas outras vagas ainda está aberta.

Uruguai protagoniza “Maracanaço” e conquista o bi
Devido à Segunda Guerra Mundial, não houve Copa do Mundo em 1942 e 1946. A maior competição de futebol do planeta retornou em 1950, justamente no Brasil. Em casa, a seleção verde e amarela atropelou Suécia e Espanha na fase de grupos. Na decisão, o adversário foi o Uruguai, em um Maracanã com quase 200.000 pessoas.

Como não havia disputa por pênaltis em caso de empate naquela época, o Brasil jogava por um empate para ficar com o título, enquanto que a Celeste Olímpica precisava vencer para levantar a taça. O Brasil saiu na frente no início do segundo tempo, mas a Seleção Uruguaia virou com Schiaffino e Ghiggia, protagonizou o “Maracanaço” e conquistou seu segundo título mundial.

Alemanha levanta a taça em 1954 de forma heróica
Disputada na Suíça, a Copa do Mundo de 1954 tinha como grande favorita a Hungria. Chamado de Time de Ouro, a equipe húngara não perdia uma partida há quatro anos. Na fase classificatória, goleou a Coréia do Sul por 9 a 0 e a Alemanha Ocidental por incríveis 8 a 3. Mesmo com a derrota, os alemães passaram de fase e voltaram a encontrar a Hungria na grande decisão.

Avassaladora na competição, a Seleção Húngara já vencia por 2 a 0 aos oito minutos de jogo. Porém, a Alemanha reagiu imediatamente, descontou aos dez e empatou aos 18 minutos da primeira etapa. No segundo tempo, Helmut Rahn virou para os alemães, que venceram a final por 3 a 2 e conquistaram seu primeiro mundial.

Curiosidades:
De acordo com o site da Fifa, o maior público da história das Copas foi registrado no Brasil. Em 1950, na final do Mundial, disputada entre Brasil e Uruguai, no Maracanã, 173.850 pessoas pagaram ingresso e viram de perto a Celeste Olímpica fazer a festa.

A Copa do Mundo de 1954 teve a maior média de gols de todos os mundiais: 5,38 por partida. Vice-campeã naquele ano, a poderosa Hungria teve o melhor ataque de uma seleção em Copas, com 27 gols marcados.

Deixe seu comentário