Sabemos pela história que o povo sempre buscou e precisou de espaços para realizar seus cultos e liturgias. Inclusive, nos tempos atuais, procuram-se templos que reflitam uma forma de conceber Deus, a Igreja e a vivência cristã. Há também uma busca por templos suntuosos e enormes, como inspirados no grande templo de Salomão.
Neste sentido, a liturgia desse fim de semana, o 3º da quaresma, nos colocará diante da estrutura do templo e da novidade trazida por Jesus. Para os judeus, desde os tempos de Salomão, o templo é o lugar por excelência do encontro e da morada de Deus. Lá se encontrava o “Santo dos Santos”, lugar sagrado para os sacerdotes; era também o centro político, social e religioso de todo povo judeu. Desse modo, ele ganha uma importância e centralidade única tanto para a sociedade judaica como para a sua religiosidade.
Porém, diante das aberrações cometidas pelos vendedores e exploradores do povo, por ocasião da peregrinação da páscoa, Jesus toma uma atitude drástica e profética. Ao expulsar os vendilhões, impedindo fazer da “casa de Deus” uma casa de comércio, Ele aproveita para uma nova catequese sobre o Templo. Se até então nesse especo físico havia o grande encontro com Deus, agora esse caminho se abre não mais pela estrutura de pedra, mas na sua própria pessoa. Jesus se torna o acesso central até o Pai e, somente por Ele, poderemos viver de forma sincera e autêntica a nossa fé cristã.
Fica-nos evidente que é preciso encontrar um equilíbrio entre a fé do Templo e a fé das atitudes. Na atualidade, muitos reduzem a fé com a participação em celebrações cultuais, enquanto outros querem viver a mesma totalmente distante dos templos. Uma depende da outra, ou seja, precisamos de igrejas para celebrar Jesus como Senhor, mas Ele mesmo, em pessoa, é o nosso próprio Templo.
Portanto, neste domingo somos convidados a rever nossa identidade cristã. Ela passa necessariamente pela adesão e aceitação de Jesus como caminho único e verdadeiro de encontro com Deus. Somente vivendo guiados e movidos pelo seu espírito de amor e serviço, de acordo e comunhão com o Evangelho, é que se torna possível um mundo mais justo e fraterno.
Senhor Jesus, ensina-nos a reconhecer em Vós a grande presença do amor do Pia junto a nós, amém!
Pe. Ricardo Nienov – Pároco
PROGRAMAÇÃO:
01/03 – 19h – missa na associação do bairro 05 de Maio
02/03 – 17h – adoração ao santíssimo
18h – via-sacra e missa
19h30 – missa no Passo da Serra na casa de Sadi
20h – terço dos homens na comunidade São Pedro e São Paulo
03/03 – 8h – reunião da pastoral do dízimo
15h30 – missa na comunidade Três Santos Mártires – Passo da Amora
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo c/ confissões
04/03 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo c/ confissões
10h – missa na comunidade N. Sra. da Glória – Germano Henke
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
05/03 – 18h30 – preparação da liturgia do fim de semana
06/03 – 14h30 – encontro da Pastoral da Saúde
15h – encontro das zeladoras de capelinhas
19h – missa na comunidade Sagrado Coração de Jesus – Tanac
19h30 – estudo bíblico com Pe. Luciano Motti
07/03 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva

Deixe seu comentário