Uma das realidades que mais instiga e angustia o ser humano é de como será no final da história. Quando se fala em “fim do mundo”, logo há muitas reações, atitudes e inclusive preocupações que geram uma tremenda desorientação humana. Contudo, como cristãos não deve ser esta nossa maior preocupação, aliás, não nos cabe saber e definir de que forma ocorrerá o fim da história.
Com relação a este assunto, a Palavra de Deus também nos alerta e convida a ficarmos atentos. Nos primeiros tempos do cristianismo havia uma expectativa intensa sobre a volta imediata de Jesus, o que seria o fim dessa história aqui na terra. Como a parusia não vinha, houve um desleixo e uma acomodação por parte dos cristãos, que acabaram desviando e perdendo a essência de sua fé.
Neste próximo domingo, Paulo, sobretudo, nos fará enxergar que para o ser humano a ocupação não deverá ser quando será o fim dos tempos, na vinda do Senhor. Todavia, a preocupação deve estar em torno de como vamos estar quando acontecer o mesmo. E o grande convite que nos é dirigido é de não nos ocuparmos apenas com o presente, mas o mesmo deve estar apontado para o futuro, onde teremos o prêmio de uma vida fiel e coerente com nosso batismo.
A modernidade fez com que a humanidade puxasse a história humana tão somente para esta o presente que estamos vivendo. Tirou a dimensão e a perspectiva do futuro, de uma escatologia final que abre o horizonte de esperança à humanidade. No instante que esquecemos que a história humana não está voltada para o presente, mas para o futuro, vai-se perdendo aos poucos todas as motivações para sonhar, acreditar e esperar algo que vá além da nossa mísera condição terrena.
Portanto, presente ou futuro? As duas realidades estão imbricadas, isto é, vive-se o presente como realidade concreta, na qual somos chamados a fazer acontecer o reino de Deus, colocando nossos dons a serviço dos irmãos. Porém, jamais poderemos perder a noção de que tudo recebe seu verdadeiro significado enquanto está apontado para a plenitude no fim dos tempos, dimensão que buscamos pela vigilância e a prática do evangelho.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

Programação:
16/11 – 19h – missa no bairro Municipal
17/11 – 19h30 – missa na comunidade Santa Rita
20h – terço dos homens na comunidade São Pedro e São Paulo
18/11 – 8h – formação litúrgica – comunidade do Assentamento
15h – chá beneficente na comunidade Germano Henke (associação do bairro)
15h30 – missa na comunidade Três Santos Mártires – Passo da Amora
16h30 – encontro do CLJ – salão paroquial
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
19/11 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube
10h – missa na comunidade N. Sra. da Glória – Germano Henke
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
20h30 – reunião dos catequistas de crisma
21/11 – 19h – missa na comunidade Sagrado Coração de Jesus – Tanac
20h – escola vivencial promovida pelo MCC – aberta a toda comunidade. Tema: “ritos da missa” – palestrante: Pe. Ricardo Nienov
22/11 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
20h30 – reunião dos catequistas de 1ª eucaristia

INSCRIÇÕES DA CATEQUESE 1ª EUCARISTIA – estão abertas as inscrições para a catequese de 1ª eucaristia. Vejamos os detalhes:
Pré-inscrição – sábados pela manhã na secretaria paroquial com os pais ou responsável
Idade – a criança deverá completar 10 anos em 2018
Término da inscrição – 31 de março de 2018

Deixe seu comentário