Estamos no Tempo Pascal, o período áureo da vida da Igreja, no qual ela celebra e vivencia as alegrias e a experiência com o Ressuscitado. No próximo domingo, o Evangelho nos colocará como discípulos junto à comunidade primitiva, no seu encontro semanal como irmãos na fé.
Alguns detalhes nos atraem neste relato do evangelista João. O primeiro aspecto é perceber que tudo aconteceu no primeiro dia da semana, ou seja, no domingo, dia em que a comunidade cristã se encontra para fazer memória do Senhor. Lembra-nos também a nova criação que surge a partir da Páscoa. Isto nos revela a necessidade dos cristãos se encontrarem, para, em comunidade, fazerem a experiência do Ressuscitado.
O segundo detalhe relevante é o fato das portas fechadas. O medo, a insegurança, a falta de confiança trancam os discípulos e a Igreja, e os impedem de sentirem a força de Deus. Porém, quando Jesus lhes aparece, emerge uma grande alegria nos discípulos, pois sentem a graça do ressuscitado. Uma autêntica comunidade cristã vive da alegria pascal, fruto da presença de Jesus no meio deles.
O terceiro ponto que nos chama a atenção é de Tomé. Ele é um dos que não está na comunidade. Ele é o protótipo do cristão que está desiludido, descrente, necessitado de provas extraordinárias e visíveis para voltar a crer. Somos inúmeras vezes assim, quando as nossas expectativas não se concretizam, quando o marasmo e o cansaço da vida de fé já não respondem mais, no momento que nos afastamos da vida da Igreja.
Esse detalhe é muito importante para nossos dias. Muitos “cristãos” perderam a noção de vivência comunitária. Conduzem a “fé” de forma autônoma, descomprometida, distante dos irmãos, e esquecem de que Deus sempre conduziu a história como povo, nunca de forma isolada. Nos tempos atuais, vive-se uma crença individualista, o que representa um grande perigo, pois se cria um deus particular, conveniente, o qual está ao nosso dispor, na hora, do jeito e da forma que nos convier.
Desse modo, neste domingo, a liturgia nos convida a contemplar o valor da comunidade para a nossa fé. Não poderemos encontrar o Senhor de forma individualista e egoísta, mas somente quando nos colocamos em atitude de escuta da palavra e da eucaristia, como sinais concretos e visíveis da presença do Ressuscitado.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

PROGRAMAÇÃO:
05/04 – 14h – tarde dos idosos no salão paroquial
19h – não haverá missa na 05 de maio
19h30 – celebração penitencial com as crianças da 1ª eucaristia – 2ª etapa
06/04 – 16h – encontro do AO
17h – adoração ao santíssimo na igreja São Pedro e São Paulo
18h – missa 1ª sexta-feira
19h30 – missa na comunidade do Passo da Serra – na casa do Sadi
07/04 – 14h – início do retiro dos crismandos na Casa de Retiros São José
15h30 – missa na comunidade Três Santos Mártires – Passo da Amora
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
17h – encontro dos coroinhas
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
08/04 – 9h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva c/ 1ª eucaristia
10h – missa na comunidade Menino Jesus de Praga – Trilhos c/ profissão de fé
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube
11h – celebração na CRER
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva c/ início da 2ª etapa da eucaristia
09/04 – 18h15 – preparação da liturgia do fim de semana
19h30 – 1º encontro de catequese com os pais da eucaristia
10/04 – 19h – missa na comunidade Sagrado Coração de Jesus – Tanac
19h30 – encontro da pastoral do batismo
11/04 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva

Deixe seu comentário