Após as solenidades de Natal, o tempo litúrgico da Igreja volta para o período chamado de “tempo comum”, mas nem por isso menos importante. A festa do “Batismo do Senhor” faz a divisão entre os tempos, culminando o do Natal e já apresentando o início da vida pública de Jesus.
Neste sentido, a liturgia do 2º domingo apresenta duas importantes perspectivas: sentir-se chamado por Deus e estar com Ele, permanecendo unido a sua vida e sua mensagem de amor.
No evangelho que meditaremos na liturgia, percebemos que há diversos anúncios e testemunhos. O primeiro é de João Batista que apresenta Jesus como “O Cordeiro de Deus”. Ao apresentá-lo como tal, Jesus é lembrado como Aquele que derrama seu sangue em favor da humanidade. Dá a sua vida de forma inocente, a fim de resgatar e libertar o ser humano da amarra do pecado, que escraviza e impede o homem de viver. Em Jesus, portanto, encontra-se a verdadeira liberdade humana.
Diante dessa apresentação, os discípulos O seguem, a fim de conhecer sua vida e sua história. “Mestre, onde moras’? Jesus não tem residência, mas a sua vida é o lugar no qual o discípulo haverá de encontrá-lo, permanecendo com Ele para fazer uma verdadeira experiência cristã. Não é possível ser cristão sem estar com Jesus, buscando na Sua Palavra sempre mais conhecê-lo para amá-lo sempre mais.
Os discípulos que estiveram com Jesus vão ao encontro de outros para dizer-lhes: “encontramos o Messias”. O encontro com Jesus é determinante para que haja uma vivência cristã e, para que mais pessoas possam descobrir no seguimento ao mestre, o verdadeiro caminho de salvação.
Por isso, afirma-se sempre mais que a comunidade é a primeira catequista. Nela e por ela fazemos a experiência do ressuscitado, o “cordeiro” que liberta a humanidade do jugo do pecado e devolve-lha a verdadeira dignidade de filhos e filhas de Deus.
Desse modo, que a comunidade cristã sinta-se cada vez mais responsável pelo testemunho e o anúncio da pessoa de Jesus. Como haveremos de crer se ninguém nos anuncia Seu Nome? Este é o novo desafio de ser Igreja nos dias de hoje, voltarmos ao querigma inicial, pelo qual as pessoas possam conhecer a pessoa de Jesus de Nazaré, nosso salvador.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

PROGRAMAÇÃO:

13/01 – 15h30 – missa no bairro Bela Vista
17h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Muda Boi
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
18h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Assentamento
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
14/01 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube
10h – missa na comunidade Menino Jesus de Praga – Trilhos
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
20h30 – reunião da coordenação da comunidade
17/01 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva

Deixe seu comentário