Neste segundo domingo do tempo quaresmal, a liturgia nos desafia a “subirmos” o monte da transfiguração com Jesus. Sabemos, a partir dos evangelhos, que o Senhor nunca omitiu a realidade aos seus, preparando-os para a dureza da missão que assumiriam seguindo o mestre.
Porém, inúmeras vezes eles tiveram dificuldades de compreendê-lo, inclusive se colocavam contra o Seu projeto. Na base e no horizonte da pregação de Jesus, estava a dimensão da cruz, não como sofrimento e fracasso, mas caminho de vida e salvação à humanidade.
Logo após mostrar aos apóstolos que o “Filho devia sofrer muito e ser rejeitado pelos poderosos”, Ele leva três deles junto consigo ao monte. Pedro, Tiago e João parecem ser aqueles que têm mais dificuldade de aceitar a proposta do Senhor, colocando-se contra ou exigindo “regalias” incoerentes com a missão. Pedro quer impedir a morte. Já os outros querem sentar à direita do trono. Percebe-se que ainda estão distantes do real e autêntico sentido do seguimento.
Contudo, Jesus quer mostrar-lhes que o caminho que irão traçar não é sem rumo, muito menos de perdição, mas, com a imagem grandiosa da transfiguração, dá-lhes uma porção daquilo que será o futuro dos que acolherem o mestre, isto é, a plenitude na ressurreição dos mortos.
No caminho da quaresma, é fundamental percebermos a profundidade dessa Palavra, pois ela se torna a luz e a esperança necessária que os cristãos precisam, a fim de não esmorecer durante o caminho. Sentem, mesmo não compreendendo, que não vivem para o infortúnio e o desespero, mas rumo à verdadeira vida em Cristo. No entanto, para fazer essa experiência gloriosa, faz-se necessário abraçar o caminho da cruz, como sinal de entrega e de vida doada aos irmãos.
Portanto, compreendemos a cruz somente a partir da ressurreição do Senhor. Sem o horizonte do ressuscitado, faremos um caminho para o nada, sem sentido e significado. Compreendemos a cruz como condição de eternidade, na qual entendemos que a vida recebe sua plenitude no serviço, na entrega e no amor incondicional a Deus e aos irmãos.
Viver com Cristo é viver transfigurado. Ao mesmo tempo, é viver a transfiguração, transformando os caminhos de morte em sinais de vida à humanidade.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

PROGRAMAÇÃO:
23/02 – 16h – missa na Casa de Amparo “Mão de Deus”
18h – Via- Sacra na comunidade São Pedro e São Paulo
19h30 – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Muda Boi
20h – Início do Retiro Cenáculo de Maria – Salvador do Sul
20h – terço dos homens na comunidade São Pedro e São Paulo
20h30 – casamento de Diego e Larissa na comunidade S. C. de Jesus – Tanac
24/02 – 16h30 – encontro do CLJ
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
18h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Assentamento
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
25/02 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube
10h – missa na comunidade Menino Jesus de Praga – Trilhos
19h – missa de encerramento do Retiro do Cenáculo de Maria
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
26/02 – reinício das catequeses na paróquia
28/02 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva

INSCRIÇÕES DA CATEQUESE DE 1ª EUCARISTIA – estão abertas as inscrições para a catequese de 1ª eucaristia. Vejamos os detalhes:
Pré-inscrição – sábados pela manhã na secretaria paroquial, com os pais ou responsável
Idade – a criança deverá completar 10 anos em 2018
Término da inscrição – 31 de março de 2018

Compartilhar

Deixe seu comentário