Depois de escolher, orientar e preparar os discípulos para a missão, chegou a hora de Jesus voltar ao Pai. O grande mistério pascal culmina com a subida de Jesus aos céus e a vinda do Espírito Santo no próximo domingo. A solenidade que celebraremos em nossas comunidades nos dá duas perspectivas: uma é a certeza de que a vida não termina com a morte e a outra é a de que a missão iniciada por Jesus é conferida aos discípulos de todos os tempos.
Vive-se um mundo que foca sua existência no imanente, ou seja, no agora da história. O materialismo que está dominando as reflexões, os sonhos e as relações humanas arranca cada vez mais da humanidade o sentido profundo da vida. Pra onde vamos? Qual o sentido e a razão de tudo aquilo que vivemos? Perguntas corriqueiras que revelam a dúvida e a dor existencial que o ser humano vive e busca responder.
Talvez, para os dias de hoje, essa questão esteja totalmente fora de moda, ou se tornou algo obsoleto para as pessoas em geral. Porém, não nos damos conta de quanto mal isto está trazendo à humanidade. O vazio existencial que muitos atravessam, como se a vida fosse um inverno rigoroso e permanente, é sinal de que a vida humana não é para este mundo, mas aponta à transcendência como sentido pleno e verdadeiro.
Desse modo, celebrar a ascensão de Jesus aos céus é celebrar a nossa vitória. Com Cristo, seremos vitoriosos, caso formos capazes de crer em Jesus, o ressuscitado que nos abre as portas da eternidade. Crer em Jesus não é uma ideia nem uma afirmação racional, mas é acolher o seu projeto de vida e de amor, o qual culmina na hora da cruz.
Por outro lado, essa é a missão primária da Igreja, isto é, ser missionária. Anunciar ao mundo a alegria do Evangelho, como Boa-Nova de salvação a todos. A ousadia, a coragem e a audácia dos cristãos é o caminho incondicional e possível para que a vida chegue aos corações humanos. Se muitos não acreditam é porque, em muitos casos ainda, a Igreja não foi realmente missionária, mostrando a verdade do Ser, Jesus Cristo, através do testemunho de vida e do amor para com os irmãos.
Portanto, chegou a hora de Jesus partir. Por isso, a missão é conferida à Igreja como continuadora desse lindo projeto, o qual visa trazer vida plena a todos os povos. A dimensão missionária, a coragem e a esperança que a mantém é garantida pela certeza de que não estamos sozinhos, mas somos assistidos de forma permanente pelo Santo Espírito de Deus. Ide por todo mundo anunciar a alegria do Evangelho.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

Programação:
11/05 – 19h30 – 1ª noite do tríduo na comunidade Santa Rita. Missa presidida pelo Pe. Nicolau e carreteiro na associação. Valor de R$15,00
12/05 – 11h30 – galeto na comunidade São Pedro e São Paulo – R$ 15,00 p/levar
14h – reunião dos ministros da comunhão
15h30 – missa no bairro Bela Vista
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
17h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Muda Boi c/ abertura do ano catequético. A missa será no terreno da futura igreja. Levar cadeira
18h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – assentamento
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
13/05 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube c/ abertura do ano catequético
10h – missa na comunidade Menino Jesus de Praga – Trilhos c/ abertura do ano catequético
11h – celebração CRER
19h – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
16/05 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva

CATEQUESE – abertas as inscrições para a catequese de crisma, aos que nasceram em 2006 ou antes. Também para a catequese de adultos, para quem mais de 16 anos. Informações na secretaria paroquial no 3632-1951.

Deixe seu comentário