O ato violento é tudo aquilo que atenta contra a pessoa e lhe causa danos. O contexto da violência é bastante amplo. Ela pode se manifestar de formas muito diversas, de maneira que podemos falar de violências declaradas e violências veladas.
Quando falamos de violência declarada é mais explícita, sem máscaras, inegável. O corpo denota as marcas do delito.
A pessoa manifesta medo, angústia, muitas vezes apresenta somatizações e pânico em situações que lembrem o sofrimento que passa ou passou. Isto pode ser violência doméstica, pode ser assalto, sequestro e outras formas de agressão.
Por outro lado, as violências veladas são invasões sutis que não podem ser vistas com facilidade. Trata-se de um processo silencioso com o poder de minar a subjetividade humana e privá-la da autonomia.

Esse tipo de violência é muito comum em lares e, muitas vezes, só ficam sabendo os envolvidos diretamente. São agressões disfarçadas, que agridem de forma crescente e sem limites. São palavras ou atitudes que denigrem e paralisam a pessoa de tomar qualquer atitude.

De alguma forma o agredido (a) inconscientemente permite esta evolução devido alguma culpa ou identificação distorcida com sua família de origem. Família que tem este tipo de funcionamento acaba entendendo que isto é normal, desta forma copiam estas atitudes de submissão e domínio de seus pais.

Temos visto ultimamente casos grotescos de violência e agressão, onde o pai mata os filhos violentamente só para agredir a mãe. Em um caso em que o pai matou e incendiou os três filhos e se suicidou junto com eles, mostra o desespero do um adulto doente ou pervertido que não tolerou ver a ex-esposa refazer sua vida e tentar ser feliz. Desta forma encontrou a maneira mais cruel de ferir aquela que não tinha mais acesso.

A violência velada, muitas vezes é feita de forma tão sutil, em voz tão baixa que confunde o agredido. Porém ela deixa marcas no caráter, porque inibe o florescimento e o desenvolvimento da personalidade. É um processo de rendição por meio do medo e da coação.

As pessoas que sentem este tipo de agressão, mesmo que sutil, devem prestar atenção e tem o dever de proteger a si e aos seus filhos de alguma violência maior, os sinais sempre parecem. Dê atenção a eles.

Deixe seu comentário