Semanalmente, o prefeito Kadu e alguns secretários se reúnem com os vereadores para a discussão dos principais problemas da cidade. A ideia é excelente, porque torna o Legislativo co-responsável pelos erros e pelos acertos do governo. Inclusive, fica difícil entender por que suas excelências gastam tanto papel se existe um canal aberto com o Executivo para fazer seus pedidos pessoalmente.

Boas – Na última reunião, sexta-feira, os vereadores ouviram algumas boas notícias do prefeito. Entre elas, a de que seis máquinas já voltaram a fazer a manutenção das estradas e a de que o governo vai conseguir reduzir drasticamente as despesas com transporte escolar. O secretário de Gestão, Rafael Riffel, também comunicou que, no dia 13, será aberta nova licitação para a pavimentação das ruas Getúlio Vargas, Ernesto Zietlow e Selma Wallauer, beneficiando moradores do bairro Santo Antônio e das comunidades de Faxinal e Alfama.

Más – Na lista das más notícias, o prefeito declarou que não é verdade a informação divulgada no ano passado, por seu antecessor, de que está zerado o déficit de vagas na Educação Infantil. “Sempre tem necessidade de novas vagas”, declarou Kadu. Além disso, o chefe do Executivo admitiu que existia uma defasagem de 91 profissionais na área da Educação e que, num primeiro momento, foram chamadas apenas 32 pessoas para “tapar os furos”.

Substituições – Ao fim do encontro na Câmara, o chefe do Executivo deixou uma mensagem de otimismo aos vereadores, na linha do “tem muita coisa boa para acontecer”. E revelou que devem ocorrer substituições no primeiro e segundo escalões do governo municipal. Isso, sim, é música aos ouvidos dos vereadores. Alguns deles dariam um dedo para ter alguém de sua confiança, por exemplo, no comando da secretaria de Viação e Serviços Urbanos, cargo que hoje está sendo acumulado pelo chefe de gabinete do prefeito, Edar Borges Machado.

Mais um pedaço
A Câmara de Vereadores aprovou projeto permitindo ao prefeito a aplicação de recursos públicos na construção de mais um trecho da Transcitrus. O valor total é de R$ 1,5 milhão, do qual R$ 1.462.500,00 virá do Governo Federal, e R$ 37.500,00 será a contrapartida do Município. Com o dinheiro, será possível emendar dois trechos já asfaltados, entre Campo do Meio e Santos Reis, totalizando 1,2 quilômetro.

Antes da eleição – O projeto da obra está em fase de elaboração e a licitação deve ser aberta em seguida. Se tudo correr bem e “Nossa Senhora dos Candidatos Desesperados” colaborar, esta etapa da obra ficará pronta antes das eleições de outubro. Oremos!

Homenagens
Com frequência, o prefeito Kadu Müller tem prestado homenagens aos servidores públicos que completam 5, 10, 15, 20 ou 25 anos de trabalho na Administração. Um justo reconhecimento a sua dedicação. Contudo, o leitor Eduardo Henrique de Oliveira Junior acredita que existem mais pessoas merecendo a distinção. “Por que o prefeito não homenageia também os constribuintes e empresasários que, pelos mesmos períodos, mantêm em dia o pagamento dos impostos? Seria justo”, propõe.

Rapidinhas
* Em reunião com os vereadores, os moradores de Porto Garibaldi voltaram a pedir o levante da estrada que liga até a comunidade. A maioria dos edis – e o prefeito também – já sabem dessa necessidade. Ouviram o mesmo apelo nas campanhas eleitorais de 2016, 2012, 2008, 2004….

* A Câmara vota, na sessão de amanhã, requerimento dos vereadores Talis Ferreira (PR) e Cristiano Braatz (PMDB) para a realização de audiência pública. A pauta é a proibição da venda de fogos de artifício com ruído. Tema explosivo!

* Neste sábado, a Praça Rui Barbosa recebe um evento de mobilização para o próximo Carnaval. É importante, desde já, discutir as formas de custeio da festa, já que o contribuinte parece pouco disposto a ver os impostos torrados na folia.

* Na sessão desta quinta-feira, a Câmara de Vereadores deve autorizar o governo a aplicar R$ 46.582,37 em melhorias na Unidade Básica de Saúde de Muda Boi. A população saúda a iniciativa e ficará ainda mais feliz quando for ampliado o atendimento por médicos e dentistas.

Padeiro
Se nada mais der certo, o vereador Joel Kerber (PP) pode abrir uma padaria. Em sua ida a Brasília no fim do ano passado, ele levou um pão de presente à senadora Ana Amélia Lemos. Ela gostou tanto que retribuiu com um cartão de agradecimento em papel timbrado do Congresso Nacional. O documento virou uma espécie de troféu para o legislador montenegrino e, um dia, fará parte do acervo de algum museu. Quem sabe, Kerber incrementa o mimo e monta um kit, incluindo também uma geleia de bergamota?

Aguardando explicações
Ficou para sexta-feira, dia 9, a reunião dos vereadores com a secretária de Educação, Rita Carneiro Fleck, sobre a falta de vagas na Educação Infantil e as licitações do transporte escolar. O encontro deveria ter ocorrido na sexta passada, por conta de uma convocação proposta por Neri de Mello Pena, o Cabelo, do PTB. Rita não foi, alegando que alguns itens da pauta exigem o comparecimento do corpo técnico da secretaria, que estava envolvido nas questões do transporte escolar. Além disso, ela própria já tinha três agendas marcadas desde fevereiro, inadiáveis.

Desrespeito e punição – Cabelo ficou irritado. Ele disse que já fez uma convocação porque os temas são urgentes e classificou a ausência da secretária como um desrespeito. Também lembrou que vários outros secretários já deixaram de comparecer aos “convites” do Legislativo. Chegou a questionar se poderia ser aplicada uma punição, mas foi desaconselhado a enveredar por este caminho pela assessoria jurídica.

Muita calma nesta­ hora – Por lei, o Legislativo pode convocar servidores e secretários municipais sempre que precisar de explicações sobre os atos do governo. Contudo, a política de boa vizinhança recomenda que, primeiro, haja um convite e só depois a convocação, diante de uma negativa de comparecimento. Não foi o caso. A secretária Rita, diferente de alguns colegas, não costuma dar “bolo” na Câmara.

Por enquanto, PMDB
A direção estadual do PMDB divulgou nota informando que ainda não foi homologada pela Justiça Eleitoral a mudança de nome da sigla para MDB. Embora politicamente algumas instâncias e lideranças do partido já estejam utilizando a nova marca, visto que foi aprovada em convenção nacional, o comando gaúcho aguardará posicionamento oficial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fazer a adaptação. Até agora, também não teria havido nenhuma orientação do executiva nacional quanto ao tema.

Compartilhar

Deixe seu comentário