A Administração Municipal recebeu, esta semana, com pompa e circunstância, um trator e uma retroesvadeira repassados pelo governo do Estado. Em torno de 300 cidades foram contempladas através de uma compra conjunta com recursos oriundos de emenda coletiva dos deputados federais gaúchos ao orçamento da União. O investimento gira em torno de R$ 65 milhões. A promessa é de que os novos equipamentos sejam empregados em ações voltadas à agropecuária, mas já houve aquisições anteriores, com a mesma promessa, e em pouco tempo o maquinário estava fazendo trabalhos a cargo da Secretaria de Viação e Serviços Urbanos. Os produtores esperam que Renato Kranz, o persuasivo secretário de Desenvolvimento Rural, não permita.

Pequeno alívio – Apesar da importância dos novos equipamentos, no atual contexto, eles não são suficientes para fazer frente a todas as demandas do setor. O sucateamento do parque de máquinas da Prefeitura ao longo dos últimos anos requer investimentos bem mais pesados. A expectativa agora gira em torno das compras autorizadas semana passada pela Câmara, a partir de um empréstimo de R$ 3,2 milhões no Banco do Brasil.

Recuperação – Paralelamente, a Prefeitura tenta colocar em ação alguns dos mais de 50 veículos “encostados” no pátio. Sexta-feira, um caminhão que não atuava há 14 meses voltou às atividades no Departamento de Serviços Urbanos. Outro veículo recuperado é o chamado “Comboio”. O equipamento serve como opção de reabastecimento às necessidades básicas de outros veículos. Com ele, é possível calibrar pneus, trocar óleo, engraxar e lubrificar outras unidades sem que elas precisem deixar o local onde estão atuando. É um importante ganho de tempo.

Selfies – A chegada da retro e do trator teve direito a discurso e muitas poses para fotos em frente ao Palácio Rio Branco. Além do prefeito e de vários secretários e assessores, diversos vereadores fizeram questão de produzir uma selfie com as máquinas, que certamente poderão ser vistas, em breve, nos seus jornaizinhos de prestação de contas e nos “santinhos” das campanhas pela reeleição em 2020.

Paternidade – O vereador Felipe Kinn da Silva (MDB) puxou a brasa para o seu assado. Nas redes sociais, disse que Montenegro foi incluída na lista de cidades contempladas com máquinas graças a sua intervenção junto ao deputado federal Giovane Feltes, do seu partido. Felipe também garante que têm seu DNA as duas caminhonetes Amarok entregues à Secretaria da Saúde dias atrás.

Previsão – Um gaiato que passava em frente à Prefeitura na hora da chegada da retro e do trator, notando a grande quantidade de políticos em torno dos equipamentos, saiu-se com uma premonição. “Se com duas máquinas estão fazendo toda esta festa, quando chegarem as outras nove que vão comprar com dinheiro emprestado, de certo vão decretar feriado”, supõe.

Tudo de novo
O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) decidiu, por unanimidade, pela irregularidade de um outdoor em favor do pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). A propaganda foi instalada no município de Santa Rosa por suposta iniciativa de três pessoas que seriam seus eleitores e apoiadores. Segundo o procurador regional eleitoral Luiz Carlos Weber, esta foi a primeira decisão sobre propaganda irregular tomada em plenário pelos tribunais regionais do país e deverá servir de modelo para as futuras análises relacionadas às eleições deste ano.

Mais 25 – De acordo com Weber, o Ministério Público Eleitoral apura a possível irregularidade de outras 25 peças semelhantes, instaladas no Interior em apoio a Bolsonaro nos municípios de Santo Ângelo, Taquari, Salto do Jacuí, Tapejara, Camaquã, Lajeado, Montenegro, Caxias do Sul, Santo Antônio das Missões, São Luiz Gonzaga, Santa Maria, Novo Hamburgo, Santa Cruz do Sul e Passo Fundo.

Amparo – O outdoor existente às margens da RSC-287 já é o segundo. O primeiro, no mesmo lugar, foi removido por decisão judicial, em abril, mas os apoiadores do pré-candidato não recuaram, alegando que uma sentença do Tribunal Superior Eleitoral considerou legais as manifestações de apoio. Pelo visto, a discussão vai recomeçar. Jair Bolsonaro pode até não alcançar a presidência da República nas eleições de outubro, mas, no quesito polêmica, é imbatível.

Crianças em perigo
Agressões contra crianças e idosos em creches e asilos não são, infelizmente, uma novidade nos noticiários. Todavia, estes episódios sempre provocam comoção quando acontecem na nossa vizinhança. Não é diferente em Maratá, onde uma monitora da Escola de Educação Infantil Descobrindo a Vida foi afastada depois de ser acusada de maus tratos. A denúncia foi apresentada dia 21 de junho, mas há indícios de que já vinham ocorrendo situações de violência nesta turma. Como a instituição tem câmeras, não será difícil confirmar ou descartar as suspeitas.

Conivência – O Conselho Tutelar, apesar das pressões e de forma corajosa, colocou o dedo na ferida ao questionar como outros funcionários, que teriam testemunhado os maus tratos, não os denunciaram. A resposta talvez seja “medo”. Em cidades menores, onde prefeitos e vereadores dão as cartas, não há muitas pessoas dispostas a “se queimar”. Ainda mais quando os envolvidos em eventuais irregularidades são Cargos de Confiança do Executivo.

Afilhados – Aliás, isso talvez não ocorra apenas em Maratá, mas não há cabimento em nomear CC para atender a crianças em uma creche. Não se pode usar um ambiente em que se lida com menores para acomodar aliados políticos. Questão de bom senso.

Conserto – A Administração de Maratá, capitaneada pelo prefeito Fernando Schrammel, ainda pode se redimir das falhas que ocorreram até aqui. Como? Apurando rigorosamente os fatos, dando apoio ao Conselho Tutelar e afastando quem cometeu e quem foi conivente com o episódio. Doa a quem doer!

Buscando explicações
Antes de apresentar o requerimento propondo a CPI, os vereadores querem ouvir alguns dos envolvidos na elaboração do projeto do novo Plano de Carreira do Funcionalismo. Amanhã, suas excelências votam requerimento de Talis Ferreira (PR) propondo a realização de uma reunião sobre do Estudo de Impacto Previdenciário e Financeiro. Convidados: técnicos da Feevale, representantes do Sindicato dos Municipários, a servidora Carline Porn (presidente da comissão de reavaliação) e o atuário Francisco Humberto Simões Magro.

Impacto – Foi Magro que, em novembro de 2015, convenceu os vereadores de que as despesas com pessoal aumentariam somente em torno de R$ 300 mil ao mês. Contudo, os números acabaram sendo bem mais gordos: em torno de R$ 1,6 milhão.

Prioridades
O vereador Cristiano Braatz (MDB) protocolou sugestão ao Executivo para a instalação de uma academia ao ar livre no bairro Industrial. Qualquer iniciativa de incentivo ao esporte deve ser bem vista, mas, ao olhar para aquela comunidade, podemos facilmente concluir que existem necessidades mais importantes para a aplicação do dinheiro público. Terça-feira, o Ibiá mostrou a história de uma senhora que – morando num terreno ao lado do local onde se pede a instalação da academia – teme que sua casa caia na próxima enchente.

Habitação – A moradora e o marido aguardam para receber as “casinhas da Prefeitura” já há 9 anos, mas desenvolver um Plano de Habitação eficaz e abrangente parece ser um assunto que os políticos gostam de evitar. É preciso eleger prioridades.

Deixe seu comentário