Foto: AP/Divulgação

A coluna Cenário Político veiculada na última segunda-feira abordou a manifestação do vereador Cristiano Braatz (MDB) na Tribuna do Legislativo, ocasião em que denunciou que o Hospital Montenegro (HM) caminha para dois meses de atraso no recebimento de repasses do Estado, enquanto outras instituições do mesmo gênero estão em dia. O parlamentar procurou o Ibiá para reiterar sua indignação e dizer que questionará a Secretaria de Estado da Saúde a respeito dessas discrepâncias. Braatz trouxe documentos com informações técnicas do Fundo Estadual da Saúde que lhe foram repassadas pelo HM.

Dados oficiais comprovam — O relatório mostra que Montenegro ainda não teve pagos os serviços executados em março e que deveriam ter sido saldados até 30 de abril, no valor de R$ 1,82 milhão. Também não se tem notícias do mesmo valor referente a abril, que vence em 31 de maio. O vereador alerta para a iminência de dois meses de atraso. Enquanto isso, os hospitais de Viamão, Alvorada, Tramandaí e Cachoeirinha estão com os repasses em dia. Inclusive, todos têm valores superiores ao R$ 1,8 milhão de Montenegro. Tramandaí recebe quase R$ 3 milhões. “Particularmente, achei um absurdo. Por que alguns hospitais recebem em dia e outros não?”, compara o legislador.

Vai ter cobrança — Braatz afirma que sua filiação ao MDB, partido do governador (e possível candidato à reeleição) José Ivo Sartori, não o impedirá de lutar pelos interesses de Montenegro. Ele declarou à reportagem que temas como Saúde, Educação e Segurança não podem sofrer distorções. “Não vou aceitar passivamente.”

Prefeito em Brasília
Kadu Müller embarca hoje de volta a Montenegro. Desde segunda-feira, ele está em Brasília na Marcha dos Prefeitos, que objetiva basicamente defender o municipalismo, ou seja, a força e os interesses dos municípios. Do Oiapoque ao Chuí, a pedra que aperta o sapato dos prefeitos chama-se pacto federativo — hoje um sistema concentrador de recursos em Brasília. Faz anos que as autoridades municipais clamam por uma fatia maior do bolo tributário, já que cada vez mais aumentam as responsabilidades e também as demandas por serviços. Mas os avanços são poucos, porque até dialogar com o Congresso é um processo difícil. A verdade é que é conveniente para os caciques de Brasília terem prefeitos e vereadores na palma da mão. Distribuir verbas e emendas é uma fórmula nociva muito empregada para politiqueiros se manterem no poder.

Reflexão — A Prefeitura diz que a Marcha a Brasília é uma mobilização democrática que une a participação de gestores de diferentes esferas, oriundos de todo o País. “Em nosso governo, nos preocupamos em qualificar a gestão pública para refletir na comunidade montenegrina. Participar da XXI Marcha significa também estar atento às principais tendências governamentais, assim como uma grande oportunidade para capacitar nosso portfólio de projetos e ações em favor à nossa cidade”, avalia o prefeito Kadu. O evento também permite o compartilhamento informações.

Contatos políticos — Viajar ao Planalto Central permite ficar em contato com representantes do governo federal. O tetê-à-tête estreita relações com servidores e políticos de atuação federal, o que muitas vezes é determinante para desengavetar um projeto “esquecido” ou liberar recursos. Em Brasília, Kadu foi recebido pelo secretário de Segurança Alimentar e Nutricional, Caio Rocha, do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário.

Dinheiro público pelo ralo
Bastou chegar a primeira onda de frio mais forte do ano para que pacientes começassem a faltar a consultas médicas nos postos básicos e na Secretaria Municipal da Saúde. Médico especialista ouvido pela coluna relata que é possível associar as ausências com as baixas temperaturas, porque o número de faltas, nos últimos dias, é bem maior do que a média. E na maioria dos casos, o paciente não se dá ao trabalho nem de telefonar para informar que não irá. Com esta atitude irresponsável, tira a vaga de quem necessita de atendimento e dá valor ao tratamento médico, sem contar que joga dinheiro público pelo ralo.

Saúde mental em pauta — Internamente, a Secretaria Municipal da Saúde tem feito discussões para ampliar a atenção aos montenegrinos na área de saúde mental. A ideia é aumentar a oferta de serviços e modernizar procedimentos para que os pacientes tenham mais oportunidade de tratamento. A Cidade das Artes notabiliza-se por uma grande demanda neste segmento, principalmente doenças decorrentes de dependência química. Não existe milagre: uma sociedade com elevado consumo de drogas acaba tendo que arcar com pesadas despesas em tratamento e hospitalização e, de quebra, ainda precisa enfrentar altos índices de criminalidade e de violência.

A dança dos preços
Após vários aumentos quase diários do preço dos combustíveis, a paralisação dos caminhoneiros já podia até ser prevista. Embora todos sintam a diferença nos valores na hora de abastecer o carro, os motoristas profissionais são os primeiros a serem impactados pelo reajuste. Por efeito cascata, porém, todos acabarão sentindo a alta dos combustíveis, pois encarece o transporte e a atividade industrial. Naturalmente, esse custo a mais será repassado ao preço final de qualquer produto, chegando ao bolso do consumidor.

Deboche — No dia em que começaram os protestos dos caminhoneiros, a Petrobras ainda anunciou novo aumento, o que soou como deboche. Depois, os preços nas refinarias recuaram um pouco, mas a estatal esclareceu que a queda é reflexo da oscilação do dólar, não da pressão realizada pelos caminhoneiros. É impressionante a desfaçatez do governo Temer.

Homenagem do “Gringo”

Foto: Dani Barcellos/Palácio Piratini

Uma das instituições mais tradicionais da cidade foi homenageada pelo governo do Estado no início desta semana. Ao lado de equipes como E. C. Novo Hamburgo, Juventude, Grêmio e Inter, o Clube Riograndense, de Montenegro, recebeu uma placa comemorativa em reconhecimento pela sua centenária trajetória iniciada em 1881. O símbolo foi entregue pelo governador José Ivo Sartori, que destacou o pioneirismo gaúcho no futebol. A ação também contou com o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto Neto, e do ex-técnico da Seleção Brasileira, Dunga.

Sessão em Brochier
Hoje à noite tem mais uma sessão ordinária na Câmara de Brochier, às 19h. Mais cedo, às 15h30min, é a vez da primeira sessão da Câmara Mirim, inclusive com a eleição da Mesa Diretora 2018 e palestra do presidente da Casa, Fredi Haupenthal. Ambos os eventos ocorrem na sede do Poder Legislativo. Contudo, quem quiser saber quais os assuntos que estarão em pauta terá obrigatoriamente que ir até a Câmara, já que os vereadores não têm o hábito de divulgar antecipadamente os projetos e as proposições em tramitação.

Ambulância em debate
A Prefeitura de Montenegro poderá comprar mais uma ambulância para a Secretaria da Saúde, caso os vereadores aprovem hoje à noite projeto de lei neste sentido. A previsão de gasto é de R$ 80 mil em uma ambulância do “tipo A”, ou seja, para remover pacientes que não estão com a vida em risco, como demandas de altas e de internações hospitalares, atendimentos domiciliares e realização de procedimentos ambulatoriais na rede de atenção à saúde.

Coluna editada pelo jornalista Marcelo Fiori com a colaboração dos repórteres Reinaldo Ew, Mateus Friedrich e Lília Maris Nascimento. O titular está em férias.

Deixe seu comentário