– Bom dia.
– Bom dia.
– Empolgado com a Copa?
– Mas báh!
– Sério?
– Claro que não.
– Pois eu estou achando muito emocionante.
– Tipo, emocionante de fazer chorar?
– Não; refiro-me às zebras.
– Teve muitas no fim de semana.
– Demais, né? Aquela estreia com empate em 1×1 foi histórica.
– Ô!
– Espero que esse placar sirva para motivar a equipe.
– Você é um otimista.
– Sou mesmo.
– Prefiro ser mais pé no chão. Vamos ver o efeito desse empate no próximo jogo, na sexta-feira.
– Eu também. Aposto que jogarão com ainda mais garra.
– Eles precisam é de humildade.
– Mas eles são.
– Capaz. Entraram em campo achando que eram gigantes.
– Mas isso eles também são.
– Tu não tem senso crítico para o futebol.
– Você também não.
– Cara, olha com quem eles conseguiram empatar.
– Justamente. Não foi qualquer time. Jogaram contra uma seleção de tradição.
– Aff. Você não é muito de acompanhar os históricos das Copas.
– Sei o suficiente para não subestimar o adversário.
– Não deve estar falando sério. Uma chave dessas, deveriam passar com três vitórias.
– Agora você que está sendo otimista além da conta.
– Qual foi a sua previsão quando viu a chave?
– Apostei que passar de fase seria um grande feito.
– Você está louco?
– Você que está. Afinal, não é fácil segurar um empate no primeiro jogo. Contra uma seleção campeã do Mundo.
– Hã?
– E ainda pegar um pênalti cobrado por quem já foi considerado o melhor do mundo.
– O quê?
– E agora ter que jogar contra a seleção que eliminou o Brasil nas Olimpíadas de Atlanta.
– Peraí…
– Peraí que nada. Sexta nós vamos ver uma nova zebra na Copa. Os africanos que nos aguardem.
– Africanos?
– Sorte que o jogo vai ser ao meio-dia. Vou poder assistir pelo menos o primeiro tempo na hora do almoço…
– Mas afinal, pra quem você está torcendo?
– Pra Islândia.

Deixe seu comentário