Mudanças são sempre complicadas. No fundo, gostamos de ficar parados, na mesma. “Em time que está ganhando não se mexe”, o que na verdade significa que mexer num time é cansativo, portanto, procura-se um motivo para justificar a falta de alterações; no caso, o fato de estar ganhando. Nem sempre um time que está vencendo pode continuar inalterado. Alguns fatores necessários para a manutenção do mesmo podem diminuir, ou desaparecer. Isso levará a mudanças; e talvez comprometa o rendimento do mesmo.
Vamos analisar o caso da recente Feira do Livro de Montenegro. Nos últimos anos, ela acontecia na praça, onde uma estrutura adequada era construída para abrigar os visitantes, alunos, escritores, livreiros, etc. Enfim, eram alguns dias onde o centro da cidade pulsava de modo diferente. Com a escassez de recursos públicos, optou-se por uma alternativa mais barata, que consistiu em levar o evento para a Estação da Cultura. Um tanto óbvia a escolha, afinal, nessa hipótese, não seria necessário pagar pela estrutura, já que a estação tem amplos espaços cobertos. Mas como disse antes, mudanças são complicadas e surgiram várias opiniões sobre a nova casa da Feira do Livro.
Dos pontos positivos, destaco a segurança para os alunos que frequentaram a Feira. Deve ser bem mais tranquilo para uma professora conduzir seus pequenos por um ambiente longe do trânsito. Na praça, alguns tapumes e fitas plásticas ficavam naqueles centímetros que separavam as crianças dos carros em movimento.
De maneira negativa, o fato de a Estação ser longe do centro, fez com que a circulação do público em geral fosse menor, tendo como consequência uma queda nas vendas. Qual a vantagem de uma Feira do Livro sem pessoas comprando livros?
Eventos realizados com recursos públicos precisam ser acessíveis à população; mas, em certas ocasiões, o acesso fácil requer ainda mais recurso. São muitos os personagens que fazem a Feira acontecer, e cada qual tem suas necessidades e opiniões. Satisfazer a todos sempre foi complicado, assim como são as mudanças radicais, tipo a de local que ocorreu dessa vez. Cabe, como sempre, uma avaliação madura dos organizadores sobre os prós e contras e, em cima disso, sugerir mudanças para a próxima edição. Independentemente de tudo isso, os organizadores merecem os parabéns. Afinal, a Feira do Livro por pouco não saiu em lugar algum.

Compartilhar

Deixe seu comentário