É da nossa natureza sermos insatisfeitos, ingratos, reclamões. Rabugentos. Queremos sempre que as coisas aconteçam à nossa maneira. Do nosso jeito. Como planejado, ou esperado. Obviamente, nem sempre é assim. E fazer tempestade em copo d´água só depende de nós.
No último final de semana, uma imagem me tocou o coração, enquanto eu dirigia em uma destas estradas repletas de carros, caminhões, pedágios e congestionamentos. Havia um guincho, carregando um automóvel, provavelmente após uma pane, um acidente pequeno, algo do tipo. E, dentro do carro, em cima do guincho, lá estava um menino sorridente, acenando, todo feliz, para quem passasse pelo veículo. Fiquei imaginando onde estariam os pais ou responsáveis. Cheguei a ver a cena de um pai furioso, empenhado na estrada, calculando o tamanho do prejuízo, como iria trabalhar na segunda-feira, o que teria acontecido com o carro, etc.
Já o menino… Devia ter uns 10 anos, não mais que isso. Dentes bonitos, simpático, cabelo preto, pele morena. Talvez o evento mais divertido do fim de semana foi a volta da praia em cima de um guincho. Não deixava de ser uma aventura, com a vista ali de cima, saudando os estressados motoristas. Não pude ver como os outros reagiram à simpatia do guri, mas decerto devem ter pensado as mesmas coisas. Aquele garotinho portava-se como uma estrela destaque em carro alegórico na Sapucaí.
E a gente reclama de coisas pequenas. Somos intolerantes e impacientes com contratempos mínimos. Uma gota de chuva pode estragar o dia de alguns. Demorar cinco minutos a mais para chegar em casa resulta em elevação de batimentos cardíacos para outros. O que esse menino me mostrou foi o que todas as crianças nos mostram, nos gestos mais banais. A leveza deve prevalecer sempre. Até nas circunstâncias adversas. Há fardos muito mais pesados. Há dores muito mais intensas. É só olhar ao redor. Nem precisa esforço.Eu vou tentar. Quando alguma coisa “der errado”, vou lembrar do menino do guincho. Que espalha sorrisos e faz dos pequenos percalços da vida uma experiência nova e divertida.

Compartilhar

Deixe seu comentário