O que esperar de 2018? E que avaliação podemos fazer de 2017? Obviamente, cada um tem suas impressões, opiniões e memórias sobre o que já passou e o que está por vir. Tivemos mais um ano de crise, mas a luz (cada vez mais cara) no fim do túnel aponta que 2018 voltaremos a ter o crescimento do PIB. Não vai ser aquele “pibão”, mas depois da tempestade, o sol começa a espiar, assim, de soslaio.
Inevitável que façamos uma análise dos erros e acertos deste 2017. O que faltou, o que sobrou. As perdas e ganhos. Melhor ainda, se tudo for registrado, escrito. Eu não sou um exemplo de organização, embora já tenha sido bem pior. Mas todos os anos eu anoto o que esperar do próximo janeiro em diante. O que pretendo fazer. Perder peso, ler mais, ser criativo no meu trabalho. Essas são certeiras, se repetem a cada dezembro. No último, teve um item a mais: ser um bom pai. Primeiro, porque tenho um extraordinário pai, então acho que devo passar adiante esse aprendizado. Segundo, a Antônia merece. Ela chega a não dormir só para passar mais um tempinho do meu lado, ouvindo minhas brincadeiras idiotas. Espero estar conseguindo cumprir esta meta.
As outras podem ser postergadas, adiadas ou até, em último caso, deixadas de lado. Essa não. Fora isso, eu gostaria que em 2018 tivéssemos mais tolerância e respeito às diversidades. Ouvir quem pensa diferente, fora da caixa. Rotular menos. Deixar pré-julgamentos de lado. Não se levar pelas aparências. Por tatuagens, piercings ou roupas rasgadas.
É ano de eleições. Votar não é tudo em um regime democrático, mas é o maior símbolo. Ainda que estejamos desiludidos com a política, é na eleição que retomamos a esperança de uma forma tangível, real. O voto é a materialização de sonhos de mudança. Andamos acabrunhados, eu sei. Há até quem queira voltar aos tempos em que outros decidiam por nós. Não podemos transferir essa responsabilidade. Ela também é nossa, como nas listinhas de metas para o próximo ano. Que em 2018 possamos ter mais simplicidade, desprendimento e resiliência. E que estejamos em paz, com a certeza de fazermos a nossa parte, ainda que pequena, para um novo amanhã, começando pelas nossas casas.

Compartilhar

Deixe seu comentário