foto: divulgação

“Bordertown” chega à Netflix Brasil para valorizar o catálogo de séries policiais

Quem ouve falar sobre a Finlândia geralmente pensa em um lugar pacato, frio e extremamente seguro. Entretanto, a série “Bordertown” chega dia 15 de julho na Netflix para contar uma outra história. O enredo gira em torno do policial Kari Sorjonen, que decide se mudar para uma cidadezinha pequena com o intuito de se aproximar da família. O trabalho de detetive em Helsinki fez com que ele não conseguisse dar atenção necessária à mulher que batalhava contra um câncer. Com ela recuperada, o policial acha que seria bom uma mudança de hábito. Pena que ele estava prestes a trocar seis por meia dúzia.

Apesar de estar mais envolvido com a família, Sorjonen acaba coagido a participar de uma força-tarefa responsável por investigar uma série de assassinatos na pequena cidade para onde se mudou. Sua experiência no ramo é considerada essencial para o sucesso da operação, o que o obriga a participar da empreitada. Ao longo da investigação, como em todo drama policial que se preze, o protagonista se vê obrigado a enfrentar seus demônios interiores, além de, obviamente, ter sua conduta investigada. Com o decorrer das investigações, seguindo também o conhecido padrão, os crimes começam a ter uma intimidade cada vez maior com o policial, e as consequências são muito mais perigosas.

“Bordertown” já faz parte do catálogo da Netflix em alguns países desde 2017, mas só estará disponível no Brasil a partir do dia 15 de julho. Apesar de ser difícil imaginar problemas como criminalidade na Finlândia, a produção não deixa a desejar no gênero policial. A série não chegou a estourar fora do país, mas foi muito bem recebida pela crítica e, principalmente, pelos nativos. No dia de sua estreia, um em cada cinco finlandeses estava assistindo. Tanto que a segunda temporada já está prestes a ser lançada por lá.

Link para o trailer de “Bordertown”: https://www.netflix.com/br/title/80145143

Doce sabor da vitória
Novo reality show da Netflix transforma a culinária numa verdadeira corrida por açucarados US$ 10 mil

foto: divulgação

Todo mundo tem um programa que, apesar de acompanhar ansiosamente, jura com todas as forças nunca ter visto. Nesse grupo de programas “inconfessáveis”, os reality shows ocupam um lugar especial. Através de episódios por vezes tolos e vergonhosos, essas produções se tornam extremamente viciantes. Atenta à demanda do mercado, já faz um tempo que a Netflix reconheceu a necessidade de disponibilizar esse tipo de conteúdo. Com isso, chega na plataforma a competição culinária “Sugar Rush” no dia 13 de julho, que juntamente com “Queer Eye” e “Cooking on High”, se tornará uma das produções originais representantes do gênero em que as dificuldades da vida real são a atração.

Ao longo de oito episódios, a série retratará uma competição entre quatro times de habilidosos confeiteiros por um prêmio de dez mil dólares. A disputa terá três etapas, nas quais os concorrentes terão de apresentar cupcakes, decorações e bolos excepcionais para agradar os jurados Adriano Zumbo (renomado chefe australiano do reallity show culinário “Zumbo’s Just Desserts”) e Candace Nelson (proprietária da Sprinkles, a primeira confeitaria de cupcakes no mundo). No entanto, a grande ênfase no curto tempo de preparo será um grande obstáculo para esses profissionais, o que torna o programa uma verdadeira corrida contra o relógio em busca dos doces mais adoráveis possíveis. Resumidamente, para se ganhar os dez mil dólares, a pressa não pode ser inimiga da perfeição.

“Sugar Rush” conta com apresentação de Hunter March, já conhecido no meio por seu trabalho na AwesomenessTV, uma empresa de entretenimento em Los Angeles controlada pela DreamWorks. Além disso, a série foi produzida pela Magical Elves, responsável por reality shows como “Top Chef” e já familiarizada a parcerias com o serviço de streaming. “Sugar Rush” não é a primeira e, ao que tudo indica, não será a última produção culinária original da plataforma. Só nesse ano já foram lançadas algumas séries do gênero pela Netflix, como “Nailed It” e “Chasing Cameron”.
Link para o trailer da segunda temporada de “Sugar Rush”: https://youtu.be/YEzviTd9OZ8

Para lá do fim do mundo
“Próxima Parada: Apocalipse” estreia na Netflix no dia 13 de junho e promete deixar os espectadores inquietos
Em meio à maratona de produções originais Netflix, estreia dia 13 de julho “Próxima Parada: Apocalipse”. O filme é estrelado por Theo James, famoso por interpretar o mocinho Tobias Eaton em “Divergente”, e Forest Whitaker, vencedor do Oscar de melhor ator por “O Último Rei da Escócia”. A Netflix fez uma aposta alta na compra da superprodução em 2017, já que o diretor David M. Rosenthal e o roteirista Brooks McLaren são estreantes no meio. Essa opção é quase que inusitada no canal, dado que experiência é um critério muito requisitado em suas produções originais.

foto: divulgação

O enredo gira em torno de Will (Theo James), que decide se mudar com a noiva grávida para a Costa Leste americana. Essa decisão fez com que o jovem atritasse com os sogros, algo nada recomendável quando o pai dela, Tom (Forest Whitaker) é um veterano de guerra condecorado. Para melhorar seu relacionamento com os dois, o protagonista faz uma viagem para Seattle, de onde se mudaram. Apesar das conversas, os pais de Samantha não conseguem tirar da cabeça que Will é o culpado pelo recente distanciamento da filha. Entretanto, uma tragédia natural de proporções apocalípticas atinge o país, e os três perdem contato com Samantha. O filme, então, se concentra na odisseia de Will e seu futuro sogro em busca da jovem. Os dois terão de superar suas diferenças para conseguirem cruzar um país que mais parece uma zona de guerra e cujas autoridades não dão sinal de vida.

Sem muita originalidade, “Próxima Parada: Apocalipse” é mais um filme de ação genérico no quesito “pós-apocalipse” de Hollywood, com diversas cenas de luta, explosões e tudo que uma produção de alto orçamento tem direito. No geral, parece um “The Walking Dead” sem zumbis, que também explora o clássico cenário de fim do mundo, onde vale a lei do “olho por olho, dente por dente”. O principal ponto forte da produção fica nos grandes nomes que compõem o elenco e na figuração envolvente.

Link para o trailer de “Próxima Parada: Apocalipse”: https://youtu.be/SHaIhMRiyhk

Compartilhar

Deixe seu comentário