O que pouca gente sabe sobre o inferno é que há lá um programa de análise e upgrade de torturas. Logo no início do empreendimento, Lúcifer começou a observar a incrível capacidade de adaptação humana e percebeu que um dia teria de fazer algo a respeito.
Mas a implantação de um novo método de gestão só começou quando Hitler chegou. Por ser um cliente VIP, o Diabo em pessoa enfiava todos os dias um abacaxi no rabo no ex-ditador. Com o passar das décadas, o führer foi ficando apático, depois, caindo a ficha de que ser estuprado por uma bromeliácea cítrica seria sua eternidade, começou a buscar prazer no inevitável. O famoso “relaxa e goza”. O Diabo começou a desconfiar que não estava sendo eficiente e apavorou-se com a ideia de estar cometendo o principal pecado dos demônios: dar prazer a outros. A gota d’água foi quando Hitler o esperou perfumado.
Foi então que o novo programa de gestão foi criado e batizado como “A roda do Demo” pois é um ciclo constante de ação, análise e melhorias (Flagela-Avalia-Evolui-Flagela).
Atualmente, Hitler está assistindo a um discurso eterno do Fidel Castro sobre revolução, colonialismo e capital. Chora diariamente de saudade do abacaxi.
Mas o Capeta anda preocupado. Observando a evolução das maldades, ódios e manipulação dos humanos, ele teme logo ser substituído por um político ou bispo. Isso explica a longevidade de alguns aí que já deveriam ter partido dessa para pior. Há um lobby do Diabo sobre o Anjo da Morte para que não os leve até ele ter uma estratégia para se manter no posto. A gestão do inferno nas mãos de um desses humanos não é bom negócio, nem pra nós, nem pro Diabo. E nem pra morte, pois certamente seria contratada em regime terceirizado e forçada a cumprir metas exaustivas.
Lúcifer até pensou em chamar um político brasileiro e colocá-lo como vice-diabo, para aprender novas técnicas de tormento e depois descartá-lo, mas desistiu após avaliar acontecimentos recentes. Alguns demônios estrategistas defendem a ideia de criar partidos, o que tornaria o inferno um verdadeiro inferno. A divisão de poderes e ambições beneficiaria negociatas e traições eternas, mantendo o Diabo numa posição mais segura. Mas há dúvidas, esses estrategistas também têm seus interesses escusos.
Enfim, está tensa a situação nas terras de Hades, o mundo inferior nunca se sentiu tão inferiorizado.
Dizem as más línguas que o Diabo anda fazendo terapia pra aumentar a auto-estima, só não sabem quem é o terapeuta. Se for o Freud, ferrou!

Deixe seu comentário