Diante do cenário de greve e com as consequências que a sociedade vem enfrentando em decorrência das paralisações dos motoristas – falta de combustíveis e de coleta de lixo, redução na oferta de alimentos, cancelamento de aulas e atendimentos de hospitais, por exemplo -, nos deparamos com outra dura crítica da sociedade: à cobertura da mídia em relação aos fatos.
Se, por um lado, as manifestações atrapalham a normalidade dos dias, por outro, muitos cidadãos concordam com a pauta dos caminhoneiros. Todos os fatos – e lados – precisam ser mostrados para que o cidadão possa formar opinião sobre os acontecimentos. O Ibiá, com toda a sua equipe, trabalha incansavelmente para manter as informações atualizadas ao máximo.
Não somos favoráveis às supostas coberturas parciais, tão criticadas pelo uso de meias informações. Entendemos que recortes são necessários pelo espaço reduzido dos meios de comunicação. Mas isso não pode implicar na ocultação de informações relevantes à sociedade. Nesse sentido, o Ibiá é duramente favorável à imparcialidade e segue o objetivo de ouvir todos os lados em suas reportagens. Repudiamos qualquer manipulação jornalística.
Por outro lado, defenderemos o direito dos jornalistas trabalharem. Não concordamos com tratamentos hostis a profissionais da imprensa, pois entendemos que os eles estão desenvolvendo seu trabalho. É direito do cidadão não se manifestar em determinado veículo de comunicação, mas que isso ocorra de forma educada. Felizmente, até o momento, os profissionais da nossa região tiveram seu trabalho respeitado pelos manifestantes. E que continue assim pelo bem da sociedade e da livre imprensa.

Compartilhar

Deixe seu comentário