Quando se diz que o Brasil é o país da piada pronta, nem sempre há exageros. Vejam esta situação que aconteceu em Salvador, na Bahia, na manhã de sexta-feira. Dois homens foram agredidos por passageiros após tentarem assaltar o mesmo ônibus, no Largo de Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico.
De acordo com a polícia, o caso ocorreu por volta das 11h. Os suspeitos foram identificados como Maurino dos Santos Mendes e Vanderson Oliveira da Silva. Os dois não são comparsas e tentaram cometer o crime em momentos diferentes. Maurino entrou primeiro. Alguns pontos depois, Vanderson subiu e tentou assaltar o coletivo que já era roubado por Maurino. Na confusão, os dois acabaram agredidos pelos passageiros e presos em seguida.
Seria cômico se não fosse trágico. Diariamente, não só na Bahia, mas em todo o país, milhões de brasileiros circulam pelos coletivos. Em comum, carregam o sentimento de medo, já que os ataques são cada vez mais frequentes. Em questão de segundos, podem perder carteiras, celulares e outros objetos que adquiriram com sacrifício. Os assaltantes, na maior parte dos casos, são movidos pelas drogas.
Esse é apenas um dos sintomas da total falência do modelo de segurança pública brasileiro. O bandido já não se importa mais em ser identificado pelas imagens das câmeras de segurança que se multiplicam dentro dos ônibus, nas ruas e nos estabelecimentos comerciais. Ele sabe que, se for preso, não ficará atrás das grades por muito tempo, graças a uma legislação que não pune e a uma estrutura de regeneração que não alcança a maioria. Resta-nos torcer para, se formos assaltados, que seja apenas uma vez.

Compartilhar

Deixe seu comentário